Mulher é espacada por quatro horas após primeiro encontro com homem que conheceu pela internet

Quatro horas. Esse foi o tempo que a empresária Elaine Perez Caparroz, de 55 anos, foi brutalmente espancada pelo estudante de direito, Vinícius Batista Serra, de 27, no primeiro encontro dos dois na noite deste sábado (16), no Rio. Ele foi preso em flagrante por feminicídio e ela está internada no hospital particular Casa de Portugal, com o rosto desfigurado.

Elaine e Vinícius se conheceram pelo Instagram. Até marcarem o primeiro encontro, que aconteceu na casa dela, na Barra da Tijuca, eles conversavam por pelo menos oito meses só pela internet. Ao marcarem, no decorrer do momento tudo ia bem, até ele pedir algo.

“Ele falou então: ‘deita no meu ombro pra gente dormir abraçadinho. Pra dormir juntinho. Aí eu falei: ‘Tá bom’. Eu acordei com ele me esmurrando a cara.”, conta Elaine, no hospital, falando do momento que as agressões começaram.

As agressões duraram entre 1h às 5h30h. Foram socos, pontapés e diversos outros golpes. Vinícius tentou até mesmo dar um mata-leão em Elaine, para desmaiá-la. Nesse momento ela conta que tentou se defender, mas ele a mordeu no braço. “Ele foi tentar me dar um mata-leão, foi quando eu coloquei as mãos pra não deixar ele concluir. Aí ele me mordeu, nossa, me deu umas dentadas absurdas, assim, sabe, aí eu comecei a gritar: socorro, socorro, socorro!”, conta.

Vizinhos de Elaine escutaram os gritos de socorro. Foi então que o zelador do prédio chamou a polícia. Ele foi até o apartamento dela, mas quando chegou lá o agressor já não estava mais lá. No entanto, o zelador acionou os funcionários para que não abrissem os portões do condomínio e Vinícius não conseguir fugir. Já preso, o agressor alegou o seguinte: Que tomou uma quantidade excessiva de vinho, pegou no sono e acordou sento um surto.

Elanie está internada em obervação. Ela passou por exames de tumorgrafia que acusaram fraturas no rosto. Além disso ela terá que passar por uma cirurgia de reparação facial.

 

“Não consigo reconhecê-la”, diz irmão da vítima”

Rogério ao falar da irmã – Foto: Pablo Jacob / O Globo

Rogério Peres, de 45 anos, disse que a irmã está irreconhecível. Ele conta do choque que é a cada vez que vê Elaine nesse estado.

 

“Aquela pessoa que está ali, desfigurada, não representa diretamente a fisionomia da minha irmã. Cada vez que eu vejo a minha irmã, eu não consigo reconhecê-la. Ele deixou minha irmã numa situação que eu não a reconheço. Cada vez que eu chego para ver a Elaine, eu fico chocado. Não tem como se acostumar com a imagem com a qual ela ficou”, disse.

Rogério também conta que o agressor entrou no condomínio com outro nome. Ao invés de se identificar como Vinícius, ele se identificou como Felipe.

“Minha irmã já havia me contado que o porteiro falou que o nome do rapaz era Felipe. Ela achou estranho mas acabou liberando porque estava esperando alguém e achou que o porteiro havia se enganado”, disse ele, que está com a relação de pessoas que foram ao condomínio na noite de sábado para domingo.

Documento da relação de pessoas que foram ao condomínio está com o irmão da vítima / Foto: Reprodução

Facebook Comments

Deixe uma resposta

Your email address will not be published.

Open chat
Anuncie AQUI! >>>
Olá!
Gostaria de anunciar sua marca aqui?
Powered by