Jornal Povo

Atropelados por médica morta em assalto no Maracanã recebem alta

As três pessoas que foram atropeladas pela médica que dirigiu baleada após uma tentativa de assalto no Maracanã, Zona Norte do Rio, receberam alta do Hospital Municipal Souza Aguiar, para onde foram socorridos.

Na manhã de sexta-feira, Danielle Vivian Lasmar de Almeida, de 51 anos, foi alvejada nas costas e tentou seguir viagem, mas perdeu o controle do carro na Rua General Canabarro, em frente ao Centro Federal de Educação Tecnológica Celso Suckow da Fonseca (Cefet).

Danielle morreu após colidir com um poste. Testemunhas falam em pelo menos 15 disparos.

Os três feridos são um segurança do Cefet, Ribamar Ferreira, de 58 anos; um estudante de 16 anos, que foram socorridos numa ambulância dos bombeiros – e uma funcionária da Petrobras, que foi atendida no local e não teve ferimentos graves.

Investigação

A polícia investiga se o roubo do carro do engenheiro Gelson dos Santos tem relação com a morte da médica. Segundo policiais, ele contou que estava parado no sinal da Rua Morais e Silva quando um rapaz armado tentou roubar o carro que estava na sua frente.

O motorista deu uma arrancada, e o ladrão veio em direção ao carro dele. Logo em seguida, o bandido que estava com uma pistola fez sinal pra que ele e o filho saíssem do carro e fugiu no veículo de Gelson.

O carro do engenheiro foi abandonado sobre a calçada a cerca de 150 metros de onde a médica atropelou três pessoas.

O Portal dos Procurados divulgou um cartaz pedindo informações sobre a morte da médica . A Delegacia de Homicídios da Capital investiga o caso.