Jornal Povo

MP e Civil fazem ação para afastar presidente da Câmara Municipal de Petrópolis

O Ministério Público do Rio (MPRJ) e a Polícia Civil, realizam, na manhã desta quinta-feira, uma operação para afastar o presidente da Câmara de Vereadores de Petrópolis, na Região Serrana do Rio. O vereador Roni Medeiros, é acusado de empregar funcionários fantasmas em seu gabinete entre os anos de 2013 e 2016. A ação visa ainda cumprir nove mandados de busca e apreensão na residência de outros quatro investigados por crime de peculato.
O presidente da Câmara foi notificado do afastamento pelos agentes. A operação apreendeu documentos e arquivos de informática, inclusive na Câmara Municipal de Petrópolis.

A ação é realizada pela Coordenadoria de Investigação de Agentes com Foro (CIAF), da Polícia Civil, e pela Subprocuradoria-Geral de Justiça de Assuntos Criminais e de Direitos Humanos, do MPRJ. As investigações apontaram que Roni empregou em seu gabinete Omar Ligeiro Jacob, Valeria Maria Vital de Lira Rizzo e Márcio José de Almeida, mas eles nunca compareceram para trabalhar. Segundo o Ministério Público, o presidente da Câmara nomeou Omar Ligeiro a pedido de seu pai, Omar Jacob, como resposta aos serviços prestados por ele durante a campanha eleitoral, porém após a posse Omar Ligeiro não retornou mais para trabalhar.

Ainda segundo a denúncia do MP, em relação a Valeria e Márcio, Roni submeteu os nomes ao então presidente da Câmara Municipal, Paulo Igor Carelli, para obter a nomeação dos indicados aos cargos de assessor parlamentar e assessor especial. Embora tenham sido nomeados e empossados nos cargos comissionados, eles nunca exerceram qualquer função pública na Câmara, mas recebia normalmente o pagamento. 

A investigação aponta que ao longo de quatro anos na Câmara Municipal houve um desvio de aproximadamente R$ 500 mil dos cofres municipais. Os investigados foram indiciados pelo total de 72 peculatos e associação criminosa.

Operação achou mais de R$ 200 mil escondidos na casa de ex-presidente
Na Operação Caminho do Ouro, em abril de 2018, prendeu o presidente da Câmara Municipal de Petrópolis na época, Paulo Igor Carelli, e encontrou em sua casa quase R$ 200 mil, parte dele em dólares (10,3mil).  Os valores em reais estavam divididos em pequenos maços e seriam destinados a políticos da região, segundo a polícia.
O dinheiro foi encontrado escondido na bomba da banheira de hidromassagem, em uma gaveta de uma mesa de cabeceira e dentro de um carro. Júnior foi alvo de mandados de busca e apreensão em sua casa e em uma de suas empresas.
Outro alvo da ação foi o vereador, Luiz Eduardo Francisco da Silva, o Dudu. Os dois, o empresário Wilson da Costa Ritto Filho, o Júnior, e outras cinco pessoas foram denunciadas pelos crimes de fraude em licitação e peculato.
Attention Required! | Cloudflare

Sorry, you have been blocked

You are unable to access jornalpovo.com.br

Why have I been blocked?

This website is using a security service to protect itself from online attacks. The action you just performed triggered the security solution. There are several actions that could trigger this block including submitting a certain word or phrase, a SQL command or malformed data.

What can I do to resolve this?

You can email the site owner to let them know you were blocked. Please include what you were doing when this page came up and the Cloudflare Ray ID found at the bottom of this page.