Policiais da Delegacia de Homicídios vão à casa de porteiro que depôs no caso Marielle

Dois policiais civis da Delegacia de Homicídios (DH) da Capital foram, no início da tarde desta sexta-feira, à casa do porteiro do Condomínio Vivendas da Barra que depôs no caso Marielle, no bairro da Gardênia Azul, Zona Oeste do Rio. O porteiro prestou depoimento à Polícia Civil há cerca de um mês no âmbito das investigações sobre o assassinato da vereadora Marielle Franco e do motorista Anderson Gomes.

Os policiais chegaram por volta das 12h30 à residência do porteiro, em uma viatura descaracterizada. Eles entraram na casa do porteiro e, cerca de dez minutos depois, deixaram o local.

O porteiro afirmou, em depoimento dado à Polícia Civil no início de outubro, que registrou a casa de número 58 do Condomínio Vivendas, onde morava o presidente Jair Bolsonaro, como destino do ex-policial militar Élcio de Queiroz, suspeito de matar a vereadora Marielle Franco e o motorista Anderson Gomes.

O porteiro também afirmou, em depoimento, que identificou a voz do “Seu Jair” ao autorizar a entrada de Élcio. Naquele dia, o então deputado Jair Bolsonaro estava em Brasília, como mostram os registros de presença na Câmara dos Deputados.

Facebook Comments

Deixe uma resposta

Your email address will not be published.

Open chat
Anuncie AQUI! >>>
Olá!
Gostaria de anunciar sua marca aqui?
Powered by