Jornal Povo

Niterói vai ganhar seu segundo restaurante popular

Niterói ganhará seu segundo restaurante popular. A nova unidade, que a prefeitura promete inaugurar em 2020, funcionará na Alameda São Boaventura, no Fonseca — o ponto exato ainda está sendo escolhido. O espaço também vai abrigar a primeira escola de formação em gastronomia popular do estado do Rio: lá, jovens e adultos poderão obter qualificação profissional para o mercado de trabalho e para o empreendedorismo, com a oferta de cursos na área de gastronomia, padaria e serviços para bares e restaurantes.

O prefeito Rodrigo Neves argumenta que a nova unidade permitirá que pessoas que moram longe do Centro possam almoçar a um preço acessível sem precisar se deslocar tanto:

— O Restaurante Cidadão Jorge Amado, no Centro, tem atendido muito bem à população carente de nossa cidade. Esse novo restaurante na Zona Norte, além de ampliar o número de refeições servidas, vai ser uma opção para que as pessoas de outras regiões, sobretudo da Zona Norte, não precisem se deslocar até o Centro para ter uma alimentação saudável e balanceada a um preço acessível.

A exemplo do trabalho que vem sendo realizado no restaurante do Centro, a unidade do Fonseca também contará com uma unidade de referência em segurança alimentar e nutricional. Terá ainda um espaço de convivência com sala de leitura, auditório para eventos culturais e palestras, adianta a secretária municipal de Assistência Social e Direitos Humanos, Flávia Mariano.

— Alimentação saudável, acessível, num espaço digno e repleto de oportunidades para o crescimento pessoal e exercício da cidadania — conclui a gestora da pasta, que já administra a unidade do Centro.

Para Daniel de Souza, presidente do conselho da ONG Ação da Cidadania, responsável pela campanha Natal Sem Fome, a abertura da nova unidade é um exemplo a ser seguido por outros municípios e estados de todo o Brasil.

— Apesar de não resolver o problema da fome de forma estrutural, a possibilidade de almoçar num restaurante popular, pagando um preço acessível, é de suma importância para a população pobre. A escola de gastronomia também é uma ótima iniciativa: no mesmo lugar em que se dará o peixe, se ensinará a pescar — diz o filho do sociólogo Herbert de Souza, o Betinho, que fundou a ONG em 1993.

Municipalizado pela prefeitura em janeiro de 2017, o Restaurante Cidadão Jorge Amado já serviu mais de um milhão de refeições em menos de três anos. Para manter o local funcionando, a prefeitura investe anualmente cerca de R$ 3 milhões: o preço da refeição, a R$ 2, permanece o mesmo desde a reabertura.

O almoço é servido de segunda à sexta-feira, das 10h às 15h, com cardápio variado. O café da manhã — pão com manteiga e café com leite, café puro ou refresco — custa R$ 0,50 e fica disponível à população das 6h às 9h.

O menu é preparado por nutricionistas, que priorizam uma alimentação equilibrada e variada, já que boa parte dos frequentadores do restaurante é de pessoas acima dos 40 anos ou idosos. O restaurante chegou a ficar fechado quando o governo do estado do Rio, que administrava o espaço, enfrentava uma grave crise financeira.

Via: Jornal Extra

Attention Required! | Cloudflare

Sorry, you have been blocked

You are unable to access jornalpovo.com.br

Why have I been blocked?

This website is using a security service to protect itself from online attacks. The action you just performed triggered the security solution. There are several actions that could trigger this block including submitting a certain word or phrase, a SQL command or malformed data.

What can I do to resolve this?

You can email the site owner to let them know you were blocked. Please include what you were doing when this page came up and the Cloudflare Ray ID found at the bottom of this page.