Jornal Povo

Alerj vota projeto de lei que assegura manifestações de torcedores em eventos esportivos

A Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro (Alerj) vota nesta quarta-feira (11) um projeto de lei que quer assegurar manifestações diversas dos torcedores durante eventos esportivos. A medida, que será debatida em primeira discussão, permite utilização de camisas, faixas, cartazes e bandeiras.

Os torcedores continuam proibidos de realizar atos homofóbicos, racistas e de intolerância religiosa.

Caso o projeto de lei 987/19 seja aprovado, fica proibida a censura prévia por agentes de segurança públicos ou privados. Os autores do projeto são os deputados André Ceciliano (PT), Carlos Minc (PSB) e Zeidan Lula (PT).

“A alma de um evento esportivo, seja ele qual for, é a torcida, com seu colorido e empolgação. Portanto, nada mais justo e democrático do que garantir aos torcedores o direito de se manifestarem livremente, sem qualquer tipo de censura prévia”, disse André Ceciliano.

A medida, que altera a Lei 6.615/13, assegura a manifestação de integrantes de torcidas organizadas e torcedores em geral.

Em caso de descumprimento, os infratores estarão sujeitos à advertência seguida de multa de R$ 150 por cada censura praticada. Em caso de reincidência, a multa poderá chegar a R$ 1.026 por cada ato de censura.

No último domingo (8), uma faixa com os dizeres “Botafogo Antifascismo” foi apreendida na partida entre Botafogo e Ceará, no Estádio Nilton Santos.

Imagens divulgadas na internet mostram que a torcedora que carregava a faixa teve o nome anotado.

A PM se justificou com base em um trecho do Estatuto do Torcedor que diz que são proibidas bandeiras “para outros fins que não o da manifestação festiva e amigável”.

Em nota, a PM conclui que “não será autorizada permanência no local qualquer material que faça referência a ideologia que não diga respeito ao futebol e a manifestações festivas”.

Durante a Olimpíada Rio 2016, a organização informou que não seria tolerada a exibição de cartazes com protestos políticos ou religiosos nas arenas. A determinação era para retirar torcedores que insistissem em exibir mensagens. Jornais estrangeiros repercutiram a decisão de expulsar torcedores.

A proibição de protestos de cunho político em estádios já foi considerada legal, em 2014, pelo Supremo Tribunal Federal (STF), quando a corte analisou um recurso sobre a Lei da Copa.

Via: G1

Attention Required! | Cloudflare

Sorry, you have been blocked

You are unable to access jornalpovo.com.br

Why have I been blocked?

This website is using a security service to protect itself from online attacks. The action you just performed triggered the security solution. There are several actions that could trigger this block including submitting a certain word or phrase, a SQL command or malformed data.

What can I do to resolve this?

You can email the site owner to let them know you were blocked. Please include what you were doing when this page came up and the Cloudflare Ray ID found at the bottom of this page.