Vila Mimosa é temporariamente fechada pelos Bombeiros

Uma operação comandada pela Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) de Incêndio da Assembleia Legislativa do Rio (Alerj) provocou o fechamento temporário do maior reduto de prostituição do Rio de Janeiro, a Vila Mimosa, na Praça da Bandeira. O motivo foi a documentação irregular de quase todos os estabelecimentos junto ao Corpo de Bombeiros, além de riscos de incêndio. Cerca de 80% dos bares e das casas de entretenimento fecharam as portas à tarde.

Proprietários e funcionárias dos estabelecimentos reclamaram, já prevendo os prejuízos acarretados pela interrupção dos serviços no local. O Corpo de Bombeiros esclareceu que os locais onde havia irregularidades foram notificados. A medida determina que as casas têm até 90 dias para se adequarem às exigências para um funcionamento seguro. Até lá, as casas ficam

temporariamente fechadas. Caso não haja a regularização dos estabelecimentos após os prazo determinado pelos Bombeiros, os mesmos serão interditados.

Presidente da CPI do Incêndio, o deputado estadual Alexandre Knoploch (PSL) considera o espaço de lazer uma “bomba-relógio” prestes a explodir e causar a morte de centenas de pessoas.

“Esse local é completamente inapropriado para o funcionamento. São instalações precárias, com risco de incêndio a qualquer momento. É um espaço inadequado para receber qualquer tipo de pessoa. Imagine se, em dia de grande movimentação, acontecer um acidente?”, questionou Knoploch.

O deputado Rodrigo Amorim (PSL) relatou que os parlamentares encontraram um caderno com informações que remetem a crimes de exploração sexual.

“Não é só o risco de incêndio o que nos preocupa. Identificamos muitas coisas erradas. Algumas pessoas aqui estão cometendo crimes graves”, afirmou Amorim.

Deixe uma resposta

Your email address will not be published.

Open chat
Anuncie AQUI! >>>
Olá!
Gostaria de anunciar sua marca aqui?
Powered by