Risco de epidemia de sarampo faz Rio antecipar campanha de vacinação

SARAMPOARTE O DIA

O risco de uma nova epidemia de sarampo no estado do Rio fez com que a Secretaria estadual de Saúde antecipasse para hoje uma campanha de vacinação. A doença infecciosa de alto contágio, que estava erradicada no país, voltou a ser motivo de preocupação por conta do crescimento do número de casos no Rio e nos estados vizinhos de São Paulo e Minas Gerais. Só em solo fluminense, o número de infectados saltou de 20, em 2018, para 333, em 2019. Em São Paulo, foram quase 15 mil casos, com 14 mortes.

A expectativa da campanha é de que dois milhões de pessoas não imunizadas sejam vacinadas. E o público-alvo não são só crianças, mas também adultos até 49 anos.

A explicação para isso vem do infectologista Edimilson Migowski. “Muita gente só toma uma dose, quando criança, e acha que está imunizado. Mas não está. São necessárias pelo menos duas, de preferência na infância. Mas quem não tomou pode se imunizar na idade adulta também”. E a doença é a mais contagiosa entre as infecciosas: “Se cem pessoas saudáveis, mas não imunizadas, estiverem em contato com uma pessoa infectada, 95 vão contrair o sarampo”, alerta.

A recomendação do Ministério da Saúde é de que a primeira dose da vacina seja aplicada no primeiro ano de vida e a segunda aos 15 meses. Mas, com o crescimento da taxa de mortes de bebês de até 1 ano em estados vizinhos, o Rio adotou, no ano passado, a dose zero – uma extra para as crianças entre 6 e 11 meses.

Facebook Comments

Open chat
Anuncie AQUI! >>>
Olá!
Gostaria de anunciar sua marca aqui?
Powered by