Instituto Trata Brasil Revela: Belford Roxo, Duque de Caxias, São João de Meriti e Nova Iguaçu são as piores cidades no Brasil em investimento em saneamento

Brasil, potência das valas negras

Enquanto o país tenta se consolidar como uma das maiores economias, milhões de brasileiros ainda não têm acesso a esgoto

Quatro municípios da Baixada estão entre os 20 piores do país na qualidade dos serviços de água e esgoto oferecidos à população: Belford Roxo, Duque de Caxias, São João de Meriti e Nova Iguaçu. O levantamento foi feito durante 2019 pelo Instituto Trata Brasil, que mediu a qualidade dos serviços de água e esgoto entre as cem maiores cidades do país, levando em conta o número de habitantes. A cidade que apresentou o pior índice foi Belford Roxo, que ficou no 95º lugar. Ou seja, apresentou o quinto pior índice do Brasil. O município é seguido, de perto, por Caxias, no 91ª posição no ranking. A seguir vem São João de Meriti (89º), e Nova Iguaçu (82º).

O pesquisador Pedro Scazufca explicou que o levantamento é realizado com base nas informações fornecidas pelas distribuidoras do Sistema Nacional de Informação Sobre Saneamento (SNIS).

” É um descaso total com a população. A atenção dada ao saneamento básico reflete o modelo político em cidades onde os prefeitos se destacam pela atenção a este tema, ainda podemos ver obras de saneamento. No resto, é um deus-nos-acuda. E olhe que para tirar uma árvore podre de um pátio é preciso uma peregrinação de autorizações, por conta da proteção ao meio-ambiente. Mas quando se trata de evitar que os esgotos sejam lançados diretamente nas águas, essa mesma gente faz de conta que não tem muita importância para o ambiente. Estranha gente: de um lado crucifixam o cidadão privado, de outro lado fazem de conta que não podem realizar exatamente aquilo para o qual são pagas com o dinheiro dos impostos. Indignado Ricardo Rocha morador do bairro Danon em Nova Iguaçu. Moradores de Caxias, Belford Roxo e São Jõao de Meriti fazem o mesmo coro.

Produzido pelo Instituto Trata Brasil em parceria com a consultoria GO Associados, o novo Ranking do Saneamento Básico contempla as 100 maiores cidades, onde habitam 40% da população, e foi feito com base nos dados do Ministério do Desenvolvimento Regional, pelo Sistema Nacional de Informações sobre Saneamento (SNIS) – ano base 2017. Os resultados mostram que os avanços são pouco relevantes e o país fica cada vez mais distante de atingir as principais metas de saneamento básico, especialmente as oficializadas pelo Brasil na ONU – Organização das Nações Unidas. Os Objetivos do Desenvolvimento Sustentável – ODS 6 – tem como meta “Assegurar a disponibilidade e gestão sustentável da água e saneamento para todas e todos até 2030, mas a se manterem os baixos investimentos dos últimos anos (tabela abaixo), o Brasil ficará distante de cumprir mais este compromisso internacional.

Metodologia: A metodologia completa do Ranking está disponível no site oficial do Instituto Trata Brasil – www.tratabrasil.org.br .

Explica os indicadores e as notas dos municípios perfazendo a colocação de cada cidade no ranking. Deficiência na coleta dos esgotos 36 municípios têm menos da 60% da população com serviços de coleta dos esgotos, com destaque para as 10 piores cidades neste indicador .

Fonte: Instituto Trata Brasil.

P/Arinos Jornalsita

Facebook Comments

Open chat
Anuncie AQUI! >>>
Olá!
Gostaria de anunciar sua marca aqui?
Powered by