Lave o pênis! Campanha lembra homens da importância da higiene íntima

O câncer de pênis faz com que cerca de 1,6 mil homens tenham que amputar o órgão genital no Brasil por ano. Um dos principais fatores de riscos para o desenvolvimento da doença é a má higiene íntima. Diante dos números alarmantes, os criativos Leonardo Telles, Guilherme Serato, Marcelo Marui e Saulo Vinheiro desenvolveram uma ação voluntária para o Instituto Lado a Lado pela Vida (LAL), idealizador da campanha Novembro Azul, intitulada “Lave o Dito Cujo”. Por meio de um perfil no Instagram, o grupo compartilha ilustrações diárias para que os homens não esqueçam de lavar a genitália.

O projeto conta com imagens e palavras populares do órgão genital masculino como banana, falo e cobra. “Quando você vê um dado de mais de mil amputações por ano, você sente a necessidade de fazer algo para mudar isso. Como a gente está falando sobre um problema muito sério, que é um tabu, a gente quis usar do lúdico para conscientizar sobre o assunto”, conta Guilherme Serato.

Desde o dia 1º de janeiro de 2020, o perfil @laveoditocujo publica ilustrações com os nomes populares de pênis. “São 366 ilustrações. 366 sinônimos do pênis, com apelidos e nomes regionais. O nosso objetivo é lembrar diariamente os homens de lavar o dito cujo, que é a melhor forma de prevenção”, completa Serato.

O médico Aguinaldo Nardi, urologista e membro do comitê científico do LAL, vê com bons olhos a iniciativa. “Essa campanha é uma maneira lúdica e simples de ensinar o homem. O câncer de pênis é uma doença muito bem prevenida, desde que tenha educação sobre o tema. O projeto desmistifica os diversos preconceitos do homem sobre a saúde”, destaca o doutor.

A limpeza correta da genitália diminui as chances de desenvolvimento da doença. “Há uma forte associação entre a presença do prepúcio (pele que recobre a glande ou cabeça do pênis) e o surgimento do câncer peniano. Além disso, as ISTs – infecções sexualmente transmissíveis – caminham lado a lado com este tipo de câncer”, explica Nardi.

Entre os fatores de risco, está a fimose, que impede a exposição da glande (cabeça do pênis) e o acúmulo de esmegma (secreção branca resultante da descamação celular) e a falta de informação.

“No Brasil, o câncer de pênis representa 2% de todos os tipos de câncer que atingem o homem, sendo mais frequente nas regiões Norte e Nordeste. A falta de informação, a dificuldade em ter atendimento médico e muitas vezes a vergonha fazem com que os homens cheguem ao sistema com a doença em um estado avançado”, pontua a presidente do LAL, Marlene Oliveira, criadora da campanha Novembro Azul.

Apesar de raro nos países europeus e da América do Norte, esse tipo de tumor é uma condição frequente em muitos países africanos, sul-americanos e asiáticos. De acordo com o LAL, no Brasil, 90% dos casos são encontrados no Sistema Único de Saúde (SUS), que sugere que o câncer de pênis tende a afetar os homens mais pobres, não operados da fimose e com hábitos precários de higiene.

O projeto começou com artistas já conhecidos pelos criadores da campanha. No entanto, com a repercussão, a ação está aberta para que artistas (ilustradores, designers, escultores) possam participar do projeto. Para saber como, basta enviar uma mensagem para o perfil @laveoditocujo.

Via: Meia Hora

Facebook Comments

Open chat
Anuncie AQUI! >>>
Olá!
Gostaria de anunciar sua marca aqui?
Powered by