Jornal Povo

DJ Pelé fala sobre caso de racismo: ‘Sofremos diariamente’

O músico Diego Zacarias, conhecido como DJ Pelé, relatou, nesta quarta-feira, ter sofrido racismo por um um motorista de aplicativo da Uber. Diego foi obrigado a descer do veículo, na Linha Amarela, e encerrar a corrida antes do previsto. Na ocasião, o motorista, que também era negro, se recusou a levá-lo ao destino final por achar que o rapaz iria assaltá-lo. 

Segundo o músico, tudo começou quando o motorista foi buscá-lo na casa da mãe, no Engenho Novo, na Zona Norte do Rio, para levá-lo à Barra da Tijuca, onde tocaria em uma boate. Durante o caminho, o condutor chegou a dizer que iria desistir da corrida, alegando que o destino era muito perigoso. Além disso, perguntou se o DJ estava com os documentos e pediu que ele mostrasse algo que comprovasse sua participação no evento.

Durante o caminho, antes de chegar à Barra, o produtor de Diego informou que o evento havia sido cancelado. O músico então, decidiu ir para casa e alterou o destino no aplicativo. O motorista, então, decidiu parar o carro e acionar uma viatura da PM que patrulhava a Linha Amarela.

“O policial perguntou o que aconteceu e eu avisei que o motorista não queria me levar porque achava que eu era assaltante. Nem o PM entendeu, chamou outra viatura pra me dar carona até em casa e ainda me pediu desculpas pelo cara”, explica.

Diego chegou a entregar os documentos ao PM e o militar constatou que o rapaz não tinha passagens pela polícia. Mesmo com o motorista encerrando a corrida antes do destino final, o músico ainda pagou R$ 39 pelo caminho percorrido.

“O motorista ainda perguntou quanto eu tinha, como se eu não tivesse dinheiro ou fosse dar calote. Aí eu respondi que eu tinha dinheiro para pagar corrida daqui até o Maranhão se ele quisesse e dei o dinheiro”, explica.

Diego conta que acredita que o motorista apenas reproduziu o racismo que é visto e vivido pela população negra diariamente no Brasil. 

“O que eu acho mesmo é que não tem como eu culpá-lo porque o racismo do Brasil é institucional, a gente não sabe o que a pessoa passou para chegar a isso. O Brasil não deixa os negros entrarem nas grandes indústrias, a gente recebe olhar torto em todo lugar”, conta.

O músico diz esperar que a repercussão do caso chegue a outras pessoas que também enfrentam o racismo para se posicionarem contra situações do tipo. O valor pago foi ressarcido pela empresa.

Procurada pelo DIA, a Uber informou que lamenta a experiência pela qual DJ Pelé passou utilizando a plataforma e destacou que não tolera qualquer forma de discriminação e assim que houve acionamento sobre o incidente,  o motorista foi desativado do aplicativo.

A empresa disse ainda que está à disposição para colaborar com as autoridades responsáveis para investigação do caso, nos termos da lei.

Via: O Dia