Jornal Povo

Cidades da Baixada Fluminense tem 56% das estações de tratamento de esgoto sem funcionamento pleno

Mais da metade das estações de tratamento de esgoto de dez cidades da Bacia do Rio Guandu na Baixada Fluminense não estão funcionando, ou apresentam algum problema. São 44 estações que poderiam ajudar a deixar os rios dessa região menos poluídos, o que equivale a 56% de todas as estações.

Sem o funcionamento dos terminais, cerca de 10 milhões de litros de esgoto são jogados todos os dias no Guandu e afluentes. As informações fornecidas pelo Comitê de Bacia do Guandu foram baseadas em informações obtidas pelas cidades.

Em Queimados, na Baixada Fluminense, existem oito estações que estão prontas e permanecem fechadas porque aguardam licitação. Uma delas, pronta desde 2017, atenderia as casas de três bairros vizinhos. Como está paralisada, despeja todo o esgoto não tratado no Rio Camarim, que desagua no Guandu.

“Ao fim do processo licitatório, que deve ser em 90 dias, a gente vai conseguir colocar todas as estações de tratamento de esgoto para funcionar e isso vai tratar 25% do esgoto do município de Queimados. É pouco, é pouco sim, mas já é um pontapé inicial”, afirmou o porta-voz do governo, Leandro Machado.

Queimados não tem um plano municipal de saneamento. Atualmente, a cidade tem cinco estações funcionando. Além disso, os rios da cidade são poluídos com resíduos que vem do distrito industrial.

O Instituto Estadual do Ambiente (Inea) foi questionado sobre a fiscalização que é feita na região, mas não enviou uma resposta até a publicação desta reportagem.

Via: G1