Corinthians, Flamengo, São Paulo, Palmeiras… Brasileirão Feminino retorna com estrelas da Seleção

Principal competição nacional do futebol feminino, a Série A1 do Campeonato Brasileiro começa neste sábado recheada de estrelas. Um ano após a CBF tornar a modalidade obrigatória para os clubes da elite, a competição volta trazendo nomes de Seleção.

É o caso das atacantes Cristiane (Santos) e Duda (São Paulo), da meia Andressinha (Corinthians) e da goleira Bárbara (Kindermann-SC). Confira quem reforça e quem deixa as 16 equipes que brigarão pelo título ou mesmo por uma vaga na Libertadores de 2021.

Audax

No último Brasileiro, a equipe chegou às quartas de final da competição, quando foi eliminada pelo Kindermann-SC. Em 2020, estreia com um elenco completamente reformulado em relação ao ano passado: contratou 20 novas jogadoras e não renovou com nenhuma. A equipe é formada em sua maior parte por atletas locais e de pouca idade. As duas mais experientes tem 30 anos, enquanto outras 16 integrantes do grupo tem no máximo 20.

  • Quem chegou: a goleira Michelle; as zagueiras Alessandra Freitas, Julia Ketley, Nicolly Pires, Joiceana e Mayara Francini; as laterais Silmara de Oliveira, Viviana da Silva, Tamires de Oliveira, Katlteen Amaro e Joyce Alves; as volantes Nathalia Reis, Alessandra Brito e Bruna de Almeida; as meias Vitória Cavalcante e Bruna Barros; e as atacantes Maria Eduarda Almeida, Giovana Gomes, Stephanny Miranda e Ana Karolina Aparecida.

Corinthians

Atual campeão da Libertadores e vice do Brasileiro, o Corinthians chega para a Série A1 de 2020 com um reforço de peso no elenco. Trata-se da meia Andressinha, que disputou duas Copas do Mundo e uma Olimpíada pelo Brasil.

Pelo segundo ano trabalhando de forma independente – sem parceria com outras equipes, como costumava acontecer no Timão -, o clube paulista renovou com maior parte do elenco da última temporada e segue sob o comando do técnico Arthur Elias.

  • Quem chegou: a lateral Poliana, a meia Andressinha e a atacante Pâmela.
  • Quem renovou: as goleiras Lelê, Tainá Borges, Paty e Taty Amaro; as zagueiras Carol Frisanco, Mimi Souza, Giovana Campiolo e Erika; as laterais Juliete Oliveira, Suellen, Paulinha, Katiuscia e Tamires; a volante Ingryd; as meias Gabi Nunes, Maiara, Vic Albuquerque, Diany, Gabi Zanotti e Grazi; e as atacantes Cacau, Adriana Leal e Giovanna Crivelari.
  • Quem saiu: a atacante Millene Fernandes.
Andressinha acertou com o Corinthians para a temporada de 2020 — Foto: Divulgação/Corinthians

Andressinha acertou com o Corinthians para a temporada de 2020 — Foto: Divulgação/Corinthians

Cruzeiro

Sob o comando do técnico Jorge Henrique em 2020, a Raposa manteve uma base do elenco que estava no clube na última temporada. Entre os destaques que permaneceram, está a atacante Micaelly Brasil, que chegou a despontar como uma das candidatas a vaga na seleção feminina para as Olimpíadas de Tóquio.

Para reforçar a equipe, o Cruzeiro trouxe dez atletas – sendo duas com passagem pela seleção brasileira de base, caso da atacante Thamirys e da lateral Thalita.

  • Quem chegou: as goleiras Maryana e Ana Júlia; as zagueiras Mayara e Altamires; as laterais Thalita e Evellyn Tauane; as volantes Camila Ambrozio e Daiane (Godoi); a meia Andressa e a atacante Thamirys.
  • Quem renovou: a goleira Camila Menezes; as laterais Janaína e Dayana (Eskerdinha); as zagueiras Jaíni e Mariana Pires; a volante Isabela (Capelinha); as meias Duda e Micaelly Brasil, e as atacantes Kemberly (Kim), Miriã e Vanessa.
  • Quem saiu: as goleiras Michelle e Renata; as laterais Isa Leone e Mariana Dantas; as zagueiras Hingredy e Lia; as volantes Karol Dias, Nathalia e Pâmela; a meia Thayane, e as atacantes Paloma Merlo e Aline Rosa.

Ferroviária-SP

Campeã do Brasileiro e vice-campeã da Libertadores, a Ferroviária renovou com dez atletas para 2020. Entre elas, está a goleira Luciana, destaque no time e eleita melhor camisa 1 do Brasileiro e do Campeonato Paulista de 2019.

Por outro lado, perdeu a lateral Rosana, ex-seleção brasileira, para o Palmeiras. Referência no futebol feminino, a equipe estreia na Série A1 de 2020 sob o comando da técnica Tatiele Oliveira, que foi eleita melhor comandante do campeonato no ano passado.

  • Quem chegou: a lateral-esquerda Bruna Natieli; as meias Amanda Brunner (ex-Iranduba), Pati Sochor e Sâmia; a atacante Elisa e a coordenadora de futebol feminino, Carolina Vallim de Melo.
  • Quem renovou: a goleira Luciana (melhor do Brasileiro 2019); as zagueiras Gessica e Luana; a lateral Barrinha; as volantes Carol Tavares e Rafa Andrade; a meia Rafa Mineira, e as atacantes Adriane Nene, Ludmila e Aline Milene.
  • Quem saiu: a lateral Rosana e a coordenadora de futebol feminino Ana Lorena Marche, que foi para a Federação Paulista de Futebol.
Goleira Luciana, da Ferroviária, voltou a ser convocada pela Seleção Brasileira  — Foto: Divulgação/CBF

Goleira Luciana, da Ferroviária, voltou a ser convocada pela Seleção Brasileira — Foto: Divulgação/CBF

Flamengo

Campeão carioca no ano passado, o Flamengo estreia no campeonato nacional deste ano sob as mesmas condições em que disputou a última temporada: em parceria com a Marinha do Brasil. Para 2020, no entanto, somente uma contratação partiu do edital promovido pela entidade, caso da meia Jayannne.

Todas as outras seis contratadas chegaram ao time por escolha do clube. Nas últimas temporadas, a maior parte do elenco era definido pela Marinha, enquanto o clube buscava apenas peças pontuais à equipe.

  • Quem chegou: a lateral-esquerda Dantas,; a volante Edna Baiana,; as meias Carlinha, Jayanne e Kelly, e as atacantes Annaysa e Michele Carioca.
  • Quem saiu: as zagueiras Day e Andressa Pereira; a lateral Fernanda Palermo; as meias Gaby, Bia Menezes e Sâmia Pryscila, e as atacante Larissa e Dany Helena.
Flamengo contratou sete reforços para iniciar a temporada de 2020 — Foto: Assessoria Flamengo

Flamengo contratou sete reforços para iniciar a temporada de 2020 — Foto: Assessoria Flamengo

Grêmio

Após conquistar o acesso à Série A1 no ano passado, o time gaúcho inicia a temporada em processo de reformulação devido ao aumento de dificuldade da competição. Foram 14 atletas que tiveram os contratos encerrados no fim do ano passado, entre nomes selecionados pelo clube e jogadoras que decidiram ir para outras equipes. Enquanto outras seis foram contratadas até o momento, além de 17 remanescentes do elenco de 2019.

  • Quem chegou: a goleira Raissa; as laterais Rebeca e Sinara; a zagueira Andressa Pereira; as meias Kika e Jane.
  • Quem renovou: a goleira Lorena, laterais Gisseli, Isa e Ji, as zagueiras Yasmin, Ana, Beta e Bruna Flôr, as meias Byah, Jé Alves, Mariza, Pri Back e Tchula, e as atacantes Juliana Oliveira, Karina, Karol Lins, Marta Cintra, Carlinha e Eudimilla.
  • Quem saiu: as goleiras Maryana, Renata May e Thais; as zagueiras Bicê Barbosa, Rafa Ancheta e Kethleen; as laterais Gabizinha, Juju e Geovana; as volantes Taba, Thayanne e Thayla; as meias Luíza Farinon e Katrine, e a atacante Andressinha.

Internacional

Após terminar a última temporada na quinta posição da Série A1, depois de cair nas quartas para o Flamengo, o Colorado segue com o técnico Maurício Salgado no comando. Para esta temporada, contratou três reforços, com destaque para a meia Djenifer Becker, que se consolidou como capitã no Iranduba-AM, referência na modalidade.

Além dela, o clube também promoveu ao elenco profissional oito atletas que foram campeãs brasileiras Sub-18 e garantiu a permanência de outras 14 jogadoras.

  • Quem chega: a goleira Kemelli,; a meia Djenifer Becker e a atacante Byanca Brasil. Além das promovidas do Sub-18, que foram a goleira Mayara, as zagueiras Tai e Isa Haas, a lateral Belinha, a volante Julia, a meia Malu Schwaizer e as atacantes Jheniffer e Queila.
  • Quem renovou: a goleira Yasmim, as zagueiras Bruna Benites, Sorriso, Ari; as laterais Carol Gomes e Leidi; as volantes Thessa, Gabi Luizelli e Ju; as meias Nana, Mariana Pires, e as atacantes Luana Spindler, Shasha e Fabi Simões.
Djenifer Becker vem do Iranduba — Foto: Marcos Dantas

Djenifer Becker vem do Iranduba — Foto: Marcos Dantas

Iranduba

Referência no futebol feminino nacional, o Iranduba brigou contra o rebaixamento na Série A1 da última temporada (foi o 10º colocado, três posições acima da degola). Mesmo no Amazonense, perdeu a hegemonia, sendo vice-campeão diante do rival 3B. Em crise financeira, perdeu jogadoras simbólicas no elenco, como a ex-capitã Djenifer Becker, além de Mayara e Elisa. Agora tenta se reestruturar para a temporada de 2020.

  • Quem chega: agoleira Camila (ex-Internacional); as zagueiras Paulinha Gama e Thamires; as laterais Thalita e Thais Prado; as volantes Taba, Gabi e Jaqueline; a meia Suelen, além das atacantes Érica Gomes, Kedma, Andressinha (ex-Grêmio) e Karol.
  • Quem saiu: as laterais Sinara e Giselinha, a volante Djeni (ex-capitã), a meia Amanda Brunner e a atacante Elisa.

Kindermann

Desde o ano passado, quando tornou-se obrigatória a manutenção de equipes femininas por clubes da Série A do Brasileiro masculino, o Kindermann trabalha em parceria com o Avaí (que precisava cumprir com a regra).

Apesar do rebaixamento do Leão da Ilha, o acordo segue em vigor para 2020. Com vaga garantida na Libertadores deste ano, a equipe sonha com o título nacional. E tem, debaixo das traves e na cabeça de área, os pontos fortes do time: a goleira Bárbara, da Seleção Brasileira, e a atacante Letícia Amador, eleita melhor do Brasileiro 2018 quando jogava pelo Rio Preto-SP.

  • Quem chegou: as goleiras Letícia Bussatto e Fernanda; as zagueiras Sara, Karen e Bruna Rechi, a lateral Bárbara Melo; as volantes Larissa, Verônica e Camila; as meias Karina e Bebel, e as atacantes Soraya e Letícia Amador.
  • Quem renovou: a goleira Bárbara; as zagueiras Siméia, Carla Beatriz e Tuani; as laterais Mirian, Bruna Calderan e Júlia Cipriani; as volantes Tauane, Juliana Santos e Sthephanie Silva; as meias Thaíni Nunes, Catyellen, Júlia Bianchi e Letícia Albuquerque, e as atacantes Mylena Cruz, Luana Rodrigues e Duda Santos.
A goleira Bárbara é o destaque da equipe catarinense — Foto: Daniela Porcelli / CBF

A goleira Bárbara é o destaque da equipe catarinense — Foto: Daniela Porcelli / CBF

Minas Icesp

A história do clube começou como um projeto social em Brasília, no Distrito Federal. Era uma equipe amadora que aos poucos tem se transformado em profissional. Neste ano, disputa a Série A1 pela segunda vez, após conquistar o acesso em 2018, levantando a taça da Série A2 em sua estreia em um torneio nacional. Para 2020, a equipe manteve a maior parte do elenco da última temporada e inicia o Brasileiro com oito novas contratações.

  • Quem chegou: a goleira Thais Amorim; a lateral Gabi; a volante Bárbara; as meias Luiza Farinon e Katrine da Silva; e as atacantes Steffani, Isadora Amaral e Tchuery Goya, conhecida como Japa.a
  • Quem renovou: a goleira Thalya; as zagueiras Kaka e Adriana; as laterais Ana Keyla, Laine e Natalia; as volantes Beatriz Macedo, Jéssica Soares e Luyara; a meia Robinha; e as atacantes Suzana, Laíssa e Marcella Hulk.
  • Quem saiu: a meia Kátia Vasconselos e a atacante Ellen Nogueira.

Palmeiras

O clube reativou a modalidade no ano passado, quando entrou em vigor a exigência da CBF – através do Licenciamento de Clubes – para que todos os participantes da Série A do Brasileiro tivessem um time de futebol feminino atuante.

A equipe existe em parceria com a prefeitura da cidade de Vinhedo, em São Paulo. No ano passado, o Palmeiras chegou às semifinais da Série A2 e, com isso, conquistou o acesso à Série A1 do Brasileiro. Entre os destaques do elenco para 2020, está a lateral Rosana, ex-Seleção e que jogou a Libertadores de 2019 pela Ferroviária.

  • Quem chega: a goleira Karen; a zagueira argentina Agustina; a lateral Rosana; as meio-campistas Angelina, Ary Borges e Stefany e a atacante Ottilia. Monica, também atacante, retorna após passagem pelo Corinthians na Libertadores.
  • Quem renovou: as goleiras Vivi e Jully; as zagueiras Thais, Stella e Thalita Samara; as laterais Isabella Fernandes, Juliana Passari e Vitória Kaissa; as volante Nicoly, Karla Alves; as meias Maressa e Livyan e as atacantes Bianca, Ana Lurdes, Carla Nunes.
Rosana estava na Ferroviária e hoje é destaque no Palmeiras — Foto: Jonatan Dutra/Ferroviária SA

Rosana estava na Ferroviária e hoje é destaque no Palmeiras — Foto: Jonatan Dutra/Ferroviária SA

Ponte Preta

Nesta temporada, a Ponte Preta funcionará de forma diferente em relação ao ano passado, quando trabalhou em parceria com o Rio Preto, também de São Paulo. Na ocasião, terminou em 12º colocado na tabela da Série A1, livrando-se do rebaixamento somente pelo critério de saldo de gols.

Agora, a Macaca terá o futebol feminino organizado pelo próprio clube, em uma parceria com o time amador, Bonfim-SP. Por esse motivo, a diretoria precisou montar um elenco do zero. O clube informou que só confirmará as contratações das atletas que aparecerem no Boletim Informativo Diário (BID) da CBF. Até o momento, foram 13, a previsão é de que a Ponte chegue a 21 novas atletas para 2020.

Quem chegou: a goleira Gabriella Regina; as zagueiras Sthefany Honório e Liliane Ferreira; as laterais Claudia Monique, Ana Carolina, Rachel da Silva; a volante Aline Rayssa; as meias Josyane Barboza e Leticia Aparecida; e as atacantes Maynara Moraes, Dandara Lauriele, Suzane Azevedo e Rebeca Cardoso

Santos

Pioneiro e referência na modalidade, o Santos estreia no Brasileiro com uma equipe reformulada para 2020. Em meio às dispensas, contratou 15 atletas e inicia a temporada com reforços de peso no elenco. Trata-se das atacantes Cristiane, um dos principais nomes da Seleção, e Thaisinha, multicampeã pelo Peixe entre 2009 e 2011. Após cair nas quartas de final para a campeã Ferroviária, no ano passado, o time entra em campo sob o comando do técnico Guilherme Giudice tentando ir mais longe na competição.

  • Quem chegou: as zagueiras Nath Rodrigues, Tayla, Tainara e Day Silva; as laterais Giovanna, Fe Palermo e Fran Bonfanti; as meias Brena, Bia Menezes, Gaby Soares, Erikinha e as atacantes Cristiane, Laryh e Thaisinha.
  • Quem renovou: as goleiras Michelle e Nicole; a lateral Katielle; a meia Rita Bove e as atacantes Maria Dias, Amanda Gutierres e Ketlen.
Cristiane treina no CT Meninos da Vila — Foto: Pedro Ernesto Guerra Azevedo/Santos

Cristiane treina no CT Meninos da Vila — Foto: Pedro Ernesto Guerra Azevedo/Santos

São José

O clube encerrou a última temporada na oitava posição da tabela da Série A1. Poderia ter ido além, mas acabou eliminado nas quartas de final da competição para o Corinthians. Sob comando do técnico Adilson Galdino, a equipe inicia 2020 com um elenco completamente reformulado. Somente seis jogadoras que estiveram em 2019 permaneceram, enquanto 14 deixaram o clube – algumas após propostas de clubes rivais e outras por opção da comissão técnica. Cenário que fez o São José contratar mais 16 atletas.

  • Quem chegou: a goleira Jessica; as laterais Juju, Raquel Beatriz e Mari Machado; as zagueiras Bruna Amarante, Rayane e Amanda; as volantes Rafa Marques, Thaynara e Fabi Ramos; as meias Rivena, Jhorrayna, e as atacantes Joelma, Mylena Pedroso, Mylena Carioca e Ariel.
  • Quem renovou: a goleira Zany; as zagueiras Rafa Soares e Vitória Bruna; a volante Duda Batista e as atacantes Fernanda Tipa e Geisi.
  • Quem saiu: as goleiras Bruna e Gabriela; as laterais Tayane e Rafa Martins; as zagueiras Ana Martha, Dulce e Nath Rodrigues; as volantes Lívia e Edna Baiana; as meias Natsumi, Carlinha e Fernanda Marques, e as atacantes Michele Carioca e Milena.

São Paulo

Campeão da Série A2 do Brasileiro, no ano passado, quando conquistou o acesso à Série A1, o São Paulo retomou o futebol feminino no clube no ano em que a modalidade passou a ser obrigatória para as equipes na elite do masculino.

Mesmo com pouco tempo de estrada, desponta com um elenco forte para a competição. No início deste ano, o destaque fica para as contratações das atacantes Gláucia, melhor do Brasileiro 2019, e Duda, que estreou marcando gol pela Seleção em 2020, durante o amistoso contra o México.

  • Quem chegou: a goleira Thais Helena; a zagueira Gislaine; a lateral Dani e as atacantes Kamilla, Ana Caroline, Mylla, Duda e Glaucia (ex-Santos, eleita melhor atacante do Brasileiro 2019).
  • Quem renovou: as goleiras Carla e Éllen; as zagueiras Bruna Cotrim, Thais Regina e Maiara; as laterais Natane, Giovana e Roberta; a volante Cris; as meias Andressa e Yaya; e as atacantes Jaqueline e Larissa Santos. Além do técnico Lucas Piccinato.
Duda é uma das caras novas no São Paulo — Foto: Reprodução / twitter
Duda é uma das caras novas no São Paulo — Foto: Reprodução / twitter

Duda é uma das caras novas no São Paulo — Foto: Reprodução / twitter

Vitória

Depois de encerrar a Série A1 do ano passado em 8º lugar, o Rubro-negro baiano estreia em 2020 apostando na base. Mais uma vez sob o comando do técnico Lucas Grillo, que está à frente da equipe desde 2018, o Vitória coloca para jogo uma equipe jovem, baseada no time que disputou o Brasileiro Sub-16 do ano passado, chegando até as semifinais do torneio.

  • Quem chegou: a volante Raiane; as meias Allê Santana, Leslen Guimarães e Iana Veronica; e a atacante Samira Stier.
  • Quem chegou da base: as goleiras Yanne Camille e Viviane dos Santo; as zagueiras Johane Victoria, Kaillani Conceição, Paloma Silva e Stephanie de Brito; as laterais Cidiele e Isabela Paixão; as meias Carol, Driele, Kaiuska, Aissa Santos, Evelin Santos, Jarielly e Alice Evellyn; e as atacantes Ana Beatriz e Raissa da Silva.
  • Quem renovou: a atacante Jucinayra.
  • Quem saiu: as zagueiras Tainara (para o Santos) e Anny; a lateral Rute; as meias Milena, Fabiana e Dam, e as atacantes Gadu e Roqueline.
O Vitória aposta na base para a temporada de 2020 — Foto: Assessoria Vitória

O Vitória aposta na base para a temporada de 2020 — Foto: Assessoria Vitória

Fonte: Globoesporte

Facebook Comments

Open chat
Anuncie AQUI! >>>
Olá!
Gostaria de anunciar sua marca aqui?
Powered by