Jornal Povo

Flamengo favorito no Fla-Flu? Gilberto rebate: “Em clássico não tem isso, rivalidade fala mais alto”

Dono da melhor campanha até aqui no Campeonato Carioca, o Fluminense volta a enfrentar o Flamengo pela semifinal da Taça Guanabara nesta quarta-feira, às 20h30 (de Brasília), no Maracanã. No primeiro Fla-Flu, o Tricolor levou a melhor contra um time sub-20 rubro-negro. Agora, os comandados de Odair Hellmann vão enfrentar a equipe principal do atual campeão estadual, brasileiro e da Libertadores.

Motivos para se assustar? Não no Fluminense. Os jogadores estão encarando a partida com grande confiança, principalmente após o desempenho na vitória contundente por 3 a 0 sobre o Botafogo. Em entrevista coletiva na tarde desta terça-feira, no CT Carlos Castilho, Gilberto reconheceu o poderio financeiro do Flamengo, mas rebateu o favoritismo apontado para o rival.

– Não sou muito de defender um favoritismo muito grande quando se fala de clássico. Qualquer um pode estar em um dia melhor e vencer. O Fluminense também é muito grande. O Flamengo, na questão financeira, sai na frente de todos os clubes brasileiros, briga com o Palmeiras, mas dentro de campo são 11 contra 11. Quem tiver mais vontade, em um dia melhor, pode conseguir a vitória. Em clássico não tem isso, a rivalidade fala mais alto.

Em descontraída entrevista, Gilberto respondeu até a uma pergunta feita por Igor Julião, seu companheiro e concorrente de posição no elenco que acompanhava a coletiva na sala de imprensa (veja acima). O lateral também respondeu sobre o reencontro com Pedro, elogiou a nova parceria com Wellington Silva, mostrou preocupação com a previsão de chuva no Fla-Flu, comemorou a assistência para o golaço de Nenê e fez lobby para o prêmio Púskas.

Veja outras respostas da coletiva:

SEGUNDO FLA-FLU

– Esse é o segundo Fla-Flu do ano, a gente conseguiu sair com a vitória no primeiro, mas sabemos que agora é diferente, eles vêm com o time principal, é outro jogo. Alguns vão jogar pela primeira vez o clássico, outros têm bastante experiência, eu sou um deles. É um dos que eu mais gosto de jogar. Esperamos fazer um grande jogo como foi contra o Botafogo.

VANTAGEM DO EMPATE

– A gente procura não pensar nisso. É clássico, se ficar lá atrás é pior, tem que jogar. Essa é a característica que criamos desde a pré-temporada, vamos procurar o gol. Se tiver que pensar na vantagem será no final do jogo.

RELAÇÃO COM NENÊ

– Eu já tinha trabalhado com ele no Vasco, é uma pessoa extraordinária e exemplo de atleta. Para nós, que estamos chegando perto dos 30, para mim ainda falta muito (risos), estou sempre perguntando o que ele faz para estar aguentando jogar tanto tempo.

ASSISTÊNCIA

– Parece que o tempo para um pouquinho na hora, e a gente consegue pensar em um monte de coisa. Quando a bola estava na trajetória dela, já sabia que o Nenê ia acertar. É uma coisa que ele faz com facilidade no treino, então a chance de acertar era maior do que errar. Quando acertei o passe, sabia que seria um golaço.

LOBBY PARA O PÚSKAS

– Espero que possa estar concorrendo, porque aí vou estar participando junto e vou ficar muto feliz (risos).

HOLOFOTES

– Fico feliz por esse momento, ter ajudado o Nenê. Vida de lateral é difícil, a gente marca, dá passe, mas só se sobressai quem faz o gol (risos). Estou feliz, vivendo um momento melhor que ano passado, quando tive lesão. E agora, nos primeiros jogos, estou conseguindo render o que estava acostumado.

ODAIR

– Já tinha trabalhado com ele no Inter, conversado antes da pré-temporada. Ele tem um estilo de jogo que me agrada muito, não se omite, gosta da posse de bola… Característica perfeita para o Fluminense, que o torcedor está acostumado.

REENCONTRO COM PEDRO

– A expectativa maior é da parte dele. Para nós que estamos aqui, mudou bastante o elenco, é só mais um bom jogador do outro lado. A gente não tem que se preocupar muito com o Pedro, mais com a equipe do Flamengo. Essa expectativa é mais dele do que a gente com ele.

DUPLA COM WELLINGTON SILVA

– Ano passado o esquema não favorecia para o meu lado porque jogávamos com bastante meias que se sentiam mais à vontade pelo lado esquerdo. Não tinha um ponta fixo do meu lado. O Wellington me ajuda tanto na marcação e mais ainda na parte ofensiva. Fiquei bastante à vontade quando o Fluminense anunciou a contratação.

JOGO DE AFIRMAÇÃO

– Um clássico sempre dá motivação a mais para o próximo, ainda mais da maneira que foi, a gente teve total domínio e poderia ter feito mais gols. É muito importante dar seguimento ao próximo. Ficamos felizes com nosso desempenho e esperamos manter isso.

POSSÍVEL VOLTA DE FRED

– É mais um jogador experiente, ídolo da torcida, do clube, de muita qualidade. Não conheço pessoalmente, mas joguei contra ele, dá trabalho. Quando ele está em campo, tem uma preocupação a mais. Na minha opinião, é um cara que pode agregar bastante ao elenco.

CHUVAS NO RIO

– É ruim em excesso, não só pelo jogo, mas muitas pessoas sofrem com isso. Dentro de campo é ruim para os dois times, que gostam de jogar com a bola. Prefiro que o campo não esteja alagado para desempenhar bom futebol para o público e o jogo.

Fonte: Globoesporte