Jornal Povo

Ex-PMs e esposas são presos por agiotagem em condomínio de luxo na Barra

Rio – Policiais da 52ª DP (Nova Iguaçu) fazem, desde as primeiras horas da manhã desta quarta-feira, a Operação Parasitas, contra uma quadrilha que pratica agiotagem e extorsões milionárias na Baixada Fluminense. Os ex-PMs Victor Hugo Martinho Garcia, conhecido como Batata, e Eduardo Thalles Lopes, além de suas esposas, Amanda de Souza Braga e Caroline Souza Barcellos, respectivamente, foram presos durante a ação, em um condomínio de luxo da Barra da Tijuca, na Zona Oeste do Rio.

Além das quatro prisões, os agentes também cumprem 14 mandados de busca e apreensão em endereços ligados aos criminosos na Baixada. Até o momento, já foram encontrados objetos de valores, como relógios, joias, vários cheques e uma grande quantidade de dinheiro em espécie. Os outros quatro mandados são de prisão temporária.

De acordo com o delegado Pedro Bittencourt Brasil Araújo, titular da 52ª DP, o grupo age há pelo menos cinco anos emprestando dinheiro a juros altos a comerciantes e moradores de Nova Iguaçu e região.

As investigações contra a quadrilha começaram há cerca de seis meses quando as vítimas passaram a denunciar o grupo.

“Elas foram ao Ministério Público e de lá foram encaminhadas à delegacia. A partir daí, começamos a colher depoimentos e juntar documentos e provas”, acrescenta Bittencourt.

As vítimas apresentaram extratos bancários que confirmavam uma série de depósitos nas contas pessoais e das empresas dos acusados, que somam mais de R$ 3 milhões, entre 2018 e 2019, e notas fiscais de aquisição de veículos zero km em nome dos presos.

Ainda segundo o delegado, mesmo com a realização dos depósitos, os criminosos continuavam intimidando as vítimas, usando arma de fogo, como fuzis e pistolas. Em um dos casos, eles colocaram um rastreador GPS no carro de uma delas e chegaram a invadir o aniversário do seu filho, ameaçando os familiares de morte.

Os dois ex-PMs eram responsáveis pelas ameaças e suas companheiras eram sócias de empresas que receberam o dinheiro depositado pelas vítimas.

“As investigações vão continuar para a identificação de outros integrantes da quadrilha, já que há indícios da presença de mais membros no bando”, complementa Bittencourt.

A ação de hoje conta com apoio de outras delegacias do Departamento Geral de Polícia da Baixada (DGPB). Os presos vão responder pelos crimes de extorsão, organização criminosa e crime contra a economia popular.

Polícia Civil reforça que essa é a primeira investigação de uma distrital que foi apreciada pela 1ª Vara Criminal Especializada da Capital.

Fonte: O Dia

Attention Required! | Cloudflare

Sorry, you have been blocked

You are unable to access jornalpovo.com.br

Why have I been blocked?

This website is using a security service to protect itself from online attacks. The action you just performed triggered the security solution. There are several actions that could trigger this block including submitting a certain word or phrase, a SQL command or malformed data.

What can I do to resolve this?

You can email the site owner to let them know you were blocked. Please include what you were doing when this page came up and the Cloudflare Ray ID found at the bottom of this page.