Suspeitos da morte de policial federal são presos na Zona Oeste do Rio

Agentes da Polícia Federal prenderam, na manhã desta quinta-feira (20), dois milicianos suspeitos da morte do agente Ronaldo Heerem, no dia 13 deste mês. Os suspeitos, conhecidos como Di Vaca e Dejavan, foram presos em Sepetiba, na Zona Oeste do Rio. Com eles foram apreendidas duas pistolas.

No sábado (15), a Polícia Rodoviária Federal (PRF) prendeu Leandro Pereira da Silva, conhecido como “Léo do Rodo”. Investigadores afirmam que ele integra a maior milícia do RJ e também é suspeito de envolvimento na morte do policial.

Os agentes interceptaram o carro onde Léo estava em São João de Meriti, na Baixada Fluminense. Ele foi preso por porte ilegal de armas e associação criminosa.

Segundo as investigações, Léo é integrante da quadrilha de Wellington da Silva Braga, o Ecko, acusado de controlar a maior milícia do RJ. O suspeito tinha duas pistolas, carregadores e uma granada no carro.

Em uma rede social, o ministro da Justiça e Segurança Pública se manifestou sobre a prisão de Léo do Rodo.

“Confiamos que a PF identificará os responsáveis e os levará à Justiça. Inestimável apoio da PRF no caso”, destacou Sérgio Moro.

Relembre o caso

Ronaldo Heeren foi morto na Favela do Rola, em Santa Cruz. Ele e outro agente estavam em um carro descaracterizado da PF quando criminosos armados desceram de um outro veículo e atiraram.

Ronaldo foi atingido e morreu no local. O outro agente conseguiu fugir e se esconder numa casa na favela. O agente foi encontrado por policiais militares do 27º BPM (Santa Cruz) em estado de choque.

Heeren, que trabalhava na corporação há mais de 20 anos, foi encontrado por policiais militares em uma das vias da comunidade.

Via: G1

Facebook Comments

Open chat
Anuncie AQUI! >>>
Olá!
Gostaria de anunciar sua marca aqui?
Powered by