Jornal Povo

Mocidade canta sucessos e dificuldades de Elza Soares na busca pelo sétimo título

Elza Soares durante desfile da Mocidade — Foto: Marcos Serra Lima/G1
Elza Soares durante desfile da Mocidade — Foto: Marcos Serra Lima/G1

A Mocidade fez um tributo a Elza Soares na busca pelo sétimo título. A escola foi a penúltima a desfilar nesta madrugada de terça-feira (25), recontando a história da cantora de 89 anos, presente no último carro.

O desfile teve as estreias de Jack Vasconcelos como carnavalesco, após cinco anos na Paraíso do Tuiuti, e de Sandra de Sá como compositora do samba-enredo.

  • As presenças de Elza no carnaval carioca, em desfiles do Salgueiro, em 1969, e da própria Mocidade, de 1973 a 1976, foram lembradas;
  • A comissão de frente contou com sete integrantes imitando Elza e um efeito com vinis que formavam um cabelo gigante em uma delas;
  • Ela também destacou a infância pobre da cantora, nos tempos em que ela subia o morro com latas de água na cabeça.
Elza Soares desfila em altar no último carro da Mocidade

O carro abre-alas trouxe para a avenida o primeiro palco onde ela cantou, em um show de Ary Barroso. Os primeiras passos como cronner foram lembrados na ala “Nos bailes da vida”.

Outras alas representaram profissões bem além da música, como o emprego em uma fábrica de sabão e a carreira como enfermeira ou professora que os pais queriam que ela seguisse.

O romance com Garrincha e a apresentação para a seleção brasileira antes da Copa de 1962, na concentração no Chile, foram lembrados na ala “Madrinha da Copa”.

A escola verde e branca passou pela Sapucaí com 28 alas, cinco carros e 3 mil componentes, incluindo a neta da cantora, Virna Soares.

A Mocidade Independente de Padre Miguel também mostrou as partes mais difíceis da vida de Elza, como quando ela cantou em circos pouco glamourosos ou quando apanhou de ex-companheiros.

Resultado de imagem para mocidade independente 2020

Para simbolizar esses momentos tristes, os ex da cantora foram comparados a homens da caverna na ala “Machismo: Os selvagens do circo”.

A partir da ala “Fênix: a reinvenção da deusa”, o desfile exaltou a volta por cima. Elza Soares foi retratada como porta-voz das mulheres e da comunidade LGBT.

Comissão de frente da Mocidade mostra infância de Elza Soares em favela
Veja o samba-enredo da Mocidade Independente de Padre Miguel

Fonte: G1

Attention Required! | Cloudflare

Sorry, you have been blocked

You are unable to access jornalpovo.com.br

Why have I been blocked?

This website is using a security service to protect itself from online attacks. The action you just performed triggered the security solution. There are several actions that could trigger this block including submitting a certain word or phrase, a SQL command or malformed data.

What can I do to resolve this?

You can email the site owner to let them know you were blocked. Please include what you were doing when this page came up and the Cloudflare Ray ID found at the bottom of this page.