Jornal Povo

Médico boliviano é preso suspeito de falsificar documentos para adoção irregular de bebês

Um médico boliviano foi preso nesta quinta-feira (5), no RJ, suspeito de falsificar documentos para adoção irregular de bebês. A prisão, em flagrante, foi por crime contra o consumidor.

No consultório de Oscar Rodolfo Herba, na Baixada Fluminense, a polícia encontrou R$ 128 mil em espécie e remédios fora da validade.

A investigação começou no ano passado. A polícia descobriu que o Documento de Nascido Vivo de duas irmãs gêmeas de São Gonçalo foi emitido com o nome da mãe adotiva. As meninas têm hoje 7 anos.

Há a suspeita de que Oscar usou esse procedimento em outras adoções.

Em depoimento à polícia, o médico negou as acusações.

Famílias depõem

A polícia encontrou a mãe biológica das meninas gonçalenses e ouviu os pais que as adotaram.

Segundo a investigação, em 2012, a mãe das meninas era usuária de drogas. Em depoimento, a mulher confirmou que as crianças foram entregues a uma família e que Oscar intermediou os encontros.

Já os pais adotivos contaram para a polícia que a grávida, já mãe de três filhos, alegou na época não ter condição de ficar com as gêmeas. Após o interesse dos futuros pais adotivos, a gestante teria imposto uma condição: o parto teria que ser feito por Oscar.

O casal assumiu todas as despesas da mãe biológica desde o terceiro mês de gestação. E também pagou pelo parto e por uma cirurgia de ligadura de trompas.

O casal conta que, logo na primeira consulta, o médico aconselhou a grávida a mostrar, no momento da internação para ter as filhas, a certidão de nascimento da mulher que queria ficar as meninas — e não a dela.

A mãe biológica confirmou à polícia que usou os documentos da outra mulher quando chegou à maternidade. O combinado era a mãe biológica dizer que só tinha este documento porque todos os outros teriam sido perdidos durante uma enchente.

O parto aconteceu em fevereiro de 2013 numa clínica escolhida pelo médico em São Gonçalo. O estabelecimento fechou.

Logo após o nascimento, com as declarações de nascido vivo assinadas pelo médico boliviano e com o nome da mãe trocado, as duas gêmeas foram registradas como filhas do casal.

A polícia investiga participação de mais pessoas no crime e já tem pistas sobre outro caso de falsificação envolvendo um recém-nascido.

“Existem informações nos autos de que esse médico também realizou outro parto e entregou um bebê a um casal de estrangeiros que levou a criança a outro país”, afirmou o delegado José Paulo Pires.

Attention Required! | Cloudflare

Sorry, you have been blocked

You are unable to access jornalpovo.com.br

Why have I been blocked?

This website is using a security service to protect itself from online attacks. The action you just performed triggered the security solution. There are several actions that could trigger this block including submitting a certain word or phrase, a SQL command or malformed data.

What can I do to resolve this?

You can email the site owner to let them know you were blocked. Please include what you were doing when this page came up and the Cloudflare Ray ID found at the bottom of this page.