Jornal Povo

Feiras na Baixada Fluminense vendem peças de carro sem nota e animais silvestres

Feiras livres na Baixada Fluminense vendem, sem nota e sob os olhos da polícia, peças de veículos e até animais silvestres.

O RJ1 percorreu feiras em Belford Roxo e Duque de Caxias e encontrou, com uma câmera escondida, pneus, rádios, acessórios diversos, pássaros e até uma cobra. Em uma delas, um carro da polícia guardava a entrada.

Em Belford Roxo, a feira da Areia Branca ocupa grande parte da Estrada da Mineira aos domingos e às quartas-feiras. É possível comprar jogos de rodas, volantes, rádios, amortecedores, painel e acessórios de várias marcas de carros. Nada é vendido com nota fiscal.

“Olha só. Eu pego o carro para cortar. Aquilo ali eu não sei de onde é”, afirmou um dos vendedores.

As peças são vendidas na feira de Belford Roxo por valores abaixo do mercado. Uma saída de ar-refrigerado, por exemplo, que custa em média R$ 50, sai por menos da metade.

“Essa daí é R$ 15 cada uma”, contou um vendedor.

Peças mais caras têm um valor ainda menor. Por um jogo de rodas, por exemplo, que custa em média R$ 5 mil, é cobrado por R$ 1,5 mil.

Uma central de multimídia que, na internet é possível encontrar por R$ 2 mil, na feira custa R$ 400.

Algumas barracas são especializadas. Uma vende só alto-falantes, outra vende partes do motor e uma outra vende peças de moto, rodas e acessórios.

Operação

Na última sexta-feira (6), a Polícia Militar fez uma operação em comunidades de Belford Roxo e encontrou carros roubados, peças, bancos e uma oficina que fazia o desmonte. Para a polícia, são estas peças que abastecem os ambulantes ilegais.

A PM chegou a encontrar material embalado para a venda.

Bicicletas

Na feira de Belford Roxo também é possível encontrar o comércio de bicicletas em uma grande área no começo do caminho de barracas.

“Essa aqui é R$ 280, mas pode falar alguma coisa pintura novinha, toda original, valeu?!”, contou um dos vendedores.

Comércio de animais

Na cidade de Duque de Caxias, também na Baixada Fluminense, foi possível encontrar outra feira com comércio ilegal. Lá, a venda é de animais silvestres.

Entre os animais comercializados estão pássaros de várias espécies, filhotes de papagaio e até micos e lagartos.

Na entrada da feira, um carro da Polícia Militar estava estacionado. No meio estavam homens do programa Caxias Presente. Mesmo assim, as negociações aconteciam livremente.

Em outubro do ano passado, a Polícia Ambiental fez uma operação no local e 200 animais foram recolhidos.

Mesmo assim, depois que os policiais vão embora, a feira volta no dia seguinte.

O que dizem as autoridades

O RJ1 pediu informações à Polícia Militar sobre a repressão da venda de produtos de origem suspeita nas duas feiras, pedido reforçado ao 15º Batalhão (Duque de Caxias), responsável pela área, mas até as 12h não havia recebido resposta.

Sobre a venda de animais em Duque de Caxias, uma nota também foi pedida ao Ibama, que também não respondeu.

Via: G1

Attention Required! | Cloudflare

Sorry, you have been blocked

You are unable to access jornalpovo.com.br

Why have I been blocked?

This website is using a security service to protect itself from online attacks. The action you just performed triggered the security solution. There are several actions that could trigger this block including submitting a certain word or phrase, a SQL command or malformed data.

What can I do to resolve this?

You can email the site owner to let them know you were blocked. Please include what you were doing when this page came up and the Cloudflare Ray ID found at the bottom of this page.