Jornal Povo

Autuori confirma Honda no Botafogo mesmo se portões forem fechados: “A princípio vai jogar”

Paulo Autuori vai em busca de sua terceira vitória à frente do Botafogo neste domingo, às 16h, contra o Bangu, pelo Campeonato Carioca. Para isso terá um reforço de peso: Keisuke Honda fará sua estreia com a camisa alvinegra e estará em campo mesmo se os portões forem fechados para a torcida.

– A princípio vai jogar. Depende se vai ter jogo, ainda não sabemos. Terá uma reunião e os dirigentes estão à espera do que os governantes vão decidir. A questão é: futebol sem torcida perde um dos protagonistas, que é o público. Tomar a decisão de jogar de portões fechados… Aí eu pergunto: jogadores e comissão estão imunes, são de raças diferentes? Não faz sentido. Se evita para os torcedores, evite para os outros também. Parece que o profissional de futebol é uma raça que está imune a qualquer problema.

Em comunicado distribuído na manhã desta sexta, o Ministério da Saúde recomenda para todos os estados do Brasil o cancelamento, adiamento de partidas ou, se não houver tempo hábil para estas medidas, a realização de jogos com portões fechados devido à pandemia de coronavírus. Uma reunião nesta tarde na Ferj definirá como ficam os jogos da Taça Rio.

Outras declarações de Autuori:

Como Honda vai jogar?

– Isso está sendo preparado desde que ele começou a treinar com o grupo. Temos algumas hipóteses, algumas opções. O que é bom, não ter apenas uma. Ele nos dá essa possibilidade. No jogo com o Boavista, como a equipe jogou em termos de escalação? Fica essa dica, é uma opção.

Nazário e Honda podem jogar juntos?

– Dá para jogar o Bruno e o Honda? Claro que dá. Muda um pouco a característica da equipe. Se isso acontecer, temos que ter atenções a outras situações, que não vou falar aqui para não dar muitas pistas ao adversário.

Como Honda ajuda o grupo?

– Em países como o nosso, ele é, além de outras coisas, um banho de cidadania. Disciplina, lado profissional, como se sente envergonhado se não tiver performance… São coisas do japonês que transcendem o futebol. Como jogador, vai agregar porque joga sempre com o olhar no gol adversário, joga para frente. Temos que saber fazer isso. Se recuar a bola, é para gerar espaço no adversário e ter um caminho mais vertical. Quando ele vai receber a bola, o corpo já está preparado para fazer o jogo fluir para frente. É importante todos os jogadores entenderem isso.

Como o novo problema mundial afeta o clube e o futebol?

– Todos nós ficamos sem saber se vai haver ou não os jogos. Tem o jogo do Bangu, depois a Copa do Brasil, mas temos que esperar uma tomada de decisão geral. Isso transcende o futebol. Às vezes parece que o futebol fica alheio, e não é isso. Logicamente que afeta e preocupa. Qualquer cidadão tem algum nível de preocupação. Temos que pensar o futebol dentro desse contexto. Se parar, tem que parar tudo. Se tiver que mudar o calendário, que mude. Não houve Copa do Mundo em tempos de guerra. Hoje, não há guerra entre povos, ainda bem, mas vivemos uma guerra contra um vírus. Precisamos de medidas responsáveis.

– Essas tomadas de decisão têm que ser corajosas. Não importa muito tempo hábil. Me parece que clubes co-irmãos fecharam até para imprensa. É porque afeta todo mundo. Nós, que somos afetados pelo futebol, somos pessoas como as outras. Não podemos ficar alheios. É um respeito que tem haver com todos.

Fonte: Globoesporte

Attention Required! | Cloudflare

Sorry, you have been blocked

You are unable to access jornalpovo.com.br

Why have I been blocked?

This website is using a security service to protect itself from online attacks. The action you just performed triggered the security solution. There are several actions that could trigger this block including submitting a certain word or phrase, a SQL command or malformed data.

What can I do to resolve this?

You can email the site owner to let them know you were blocked. Please include what you were doing when this page came up and the Cloudflare Ray ID found at the bottom of this page.