Jornal Povo

Witzel reage a atos de Bolsonaro sobre isolamento de estados e diz que segue ‘lutando contra vírus’

BRASÍLIA – O governador do Rio de Janeiro, Wilson Witzel (PSC), reagiu, neste sábado, às medidas editadas pelo presidente Jair Bolsonaro para garantir ao governo federal a competência sobre o isolamento dos estados, indicando que manterá sua decisão sobre o fechamento das divisas fluminense por conta do novo coronavírus.

A persistência de Witzel em impedir, por exemplo, a circulação interestadual e intermunicipal no estado pode levar o Palácio do Planalto a adotar medidas extremas. Segundo o GLOBO apurou, caso o governador do Rio mantenha a determinação de proibir o trânsito terrestre, aéreo e aquaviário, as forças federais, como Exército e Polícia Federal, serão acionadas.

— Continuamos sem apoio nenhum do governo federal. O que me resta a fazer é continuar lutando contra o vírus e, diante dessa total falta de apoio, vamos iniciar no estado do Rio um mutirão humanitário para ajudar os que ficarão sem emprego — afirmou Witzel, em nota.

Reagindo aos atos de Bolsonaro — que definiram o que são serviços públicos e atividades essenciais e determinaram uma série de ações com o objetivo de impedir que os insumos necessários à população sejam afetados pela paralisação das atividades em todo o país —, Witzel também disse que continuar se “surpreendendo negativamente com as atitudes do governo federal”.

— Continuamos sem diálogo. Continuamos esperando que o governo federal receba os governadores.

Bolsonaro editou nesta sexta-feira um decreto e uma medida provisória que garante ao governo federal autoridade para decidir sobre a circulação interestadual e intermunicipal.

Os atos têm força de lei e passam a vigorar imediatamente.

De acordo com relatos feitos ao GLOBO, o objetivo do governo foi o de “ordenar” a situação em todo o país e evitar que medidas unilaterais sejam adotadas sem o conhecimento de Bolsonaro e das autoridades competentes.

Combinação

Na quinta-feira, Witzel baixou um decreto determinando, a partir deste sábado, a suspensão de viagens aéreas, terrestres e aquaviárias de origem de locais com circulação confirmada do coronavírus ou situação de emergência decretada — o que inclui São Paulo, Minas Gerais, Espírito Santo, Bahia e Distrito Federal.

Embora o governador do Rio tenha estabelecido no texto que as agências reguladoras, como Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT), Agência Nacional de Aviação Civil (ANAC) e Agência Nacional de Transportes Aquaviários (ANTAQ), precisariam ratificar a decisão até o início de sua vigência, ou seja, até este sábado, auxiliares de Bolsonaro disseram ao GLOBO, reservadamente, que não houve diálogo com o governo federal.

A expectativa do Planalto é a de qualquer medida a ser tomada em meio à pandemia seja previamente combinada com o Executivo federal.

Neste cenário, a equipe do presidente sugeriu a edição dos atos, a fim de garantir a circulação entre os Estados e evitar possível colapso nos sistemas de saúde, segurança, abastecimento e logística.

Fonte: O Globo

Attention Required! | Cloudflare

Sorry, you have been blocked

You are unable to access jornalpovo.com.br

Why have I been blocked?

This website is using a security service to protect itself from online attacks. The action you just performed triggered the security solution. There are several actions that could trigger this block including submitting a certain word or phrase, a SQL command or malformed data.

What can I do to resolve this?

You can email the site owner to let them know you were blocked. Please include what you were doing when this page came up and the Cloudflare Ray ID found at the bottom of this page.