Coronavírus: Prefeitura do Rio e escolas de samba firmam parceria para confecção de capotes descartáveis

RIO – Está faltando capote de proteção para os profissionais de saúde do Rio, que estão na linha de frente do combate ao avanço do coronavírus. Para tentar amenizar este déficit, a prefeitura firmou uma parceria com costureiras de duas escolas de samba da cidade: Vila Isabel, na Zona Norte, e Unidos de Padre Miguel, Zona Oeste. A RioSaúde, empresa pública municipal, forneceu a matéria-prima (tecido TNT de gramatura 30), além de máscaras e álcool em gel para a proteção e higienização das mãos.

Numa unidade hospitalar onde há o tratamento da Covid-19, chegam a ser utilizados dois mil desses capotes por dia – que são parte dos equipamentos de proteção individual  (EPI). Por ser um material descartável, é necessária a reposição constante dos estoques.

O pontapé deste empreitada foi no sábado (4). A Unidos de Padre Miguel recebeu 18 rolos do tecido, cerca de dois mil metros, e deve entregar a primeira remessa de capotes na segunda (6). São sete costureiras da comunidade com as mãos na massa.

-Temos máquina industrial, poderemos cortar até cem moldes por vez – diz o o presidente da escola, Lenilson Leal.

Segundo a RioSaúde, a Vila Isabel deve receber material nesta segunda-feira.

Fonte: O Globo

Open chat
Anuncie AQUI! >>>
Olá!
Gostaria de anunciar sua marca aqui?
Powered by