Jornal Povo

Contra o coronavírus, Prefeitura do Rio passa a usar sinais de celulares para combater aglomerações

A Prefeitura do Rio começou a ler sinais de celulares para saber onde há aglomerações — o que desrespeita as medidas restritivas contra a Covid-19.

Uma equipe da Guarda Municipal será enviada ao local para tentar esvaziá-la, a fim de conter o coronavírus.

Desde o início da pandemia, a Prefeitura do Rio emitiu dois decretos que proíbem eventos com aglomerações e estabelecem regras para o funcionamento do comércio na cidade.

Segundo a Secretaria de Ordem Pública, até a última sexta-feira (3), foram fechados 1.026 estabelecimentos não essenciais na cidade.

Sistema da Prefeitura do Rio mostra onde há aglomerações com base nos sinais de celulares — Foto: Reprodução/TV Globo
Sistema da Prefeitura do Rio mostra onde há aglomerações com base nos sinais de celulares — Foto: Reprodução/TV Globo

Dados anônimos

O Gabinete de Crise do município fez um convênio com uma operadora de telefonia para receber os dados — que permanecerão anônimos durante todo o processo.

As antenas espalhadas pela cidade captam onde estão os aparelhos. Essa localização é repassada e aparece em um painel.

Embora a parceria seja apenas com uma companhia telefônica, é possível estimar o público naquela região com base na participação de cada empresa no mercado.

Secretário de Ordem Pública, Gutemberg Fonseca explica que o sistema diferencia quem está em casa de turistas na rua, por exemplo.

“Uma das informações que recebemos é a do roaming. Elas caem em uma plataforma onde começamos a qualificá-las”, detalha.

Câmeras da prefeitura completam os dados, ajudando a identificar se são trabalhadores em expediente ou pedestres.

Disk-Aglomeração

Ativo há uma semana, o Disk-Aglomeração atendeu quase 450 queixas de reuniões até quinta-feira (2), como festas, e de bares funcionando.

Qualquer pessoa pode ligar para a Central 1746 e fazer a denúncia no canal recém-aberto. Também é possível registrar a queixa pela internet.

Os atendentes fazem uma triagem e repassam as reclamações para as equipes da Guarda Municipal que atuam de prontidão na base do Riocentro. São cinco patrulhas e 30 guardas por dia atendendo aos chamados de aglomeração.

Segundo a Seop, são recebidas, por exemplo, denúncias de brigas de vizinhos por conta de festas. Nesse caso, a reclamação deve ser feita com a polícia, no 190. No Disk-Aglomeração, o foco é em serviços essenciais, como supermercados que não estão orientando os clientes a manter distância nas filas dos caixas, e espaços públicos.

Bares fechados

Neste domingo (5), a Prefeitura do Rio fechou dois bares clandestinos e terminou com um evento que reunia cerca de 60 pessoas em Curicica, Zona Oeste do Rio.

Foram apreendidas ainda cinco máquinas caça-níqueis, encaminhadas à delegacia da área pela Polícia Militar para averiguação.

Além de desrespeitar o fechamento obrigatório de comércios não essenciais — seguindo as diretrizes do Decreto 47.285 (26/03/2020) da prefeitura para combate ao Covid-19 —, os estabelecimentos não possuíam alvará de funcionamento da Fazenda municipal.

Fonte: G1

Attention Required! | Cloudflare

Sorry, you have been blocked

You are unable to access jornalpovo.com.br

Why have I been blocked?

This website is using a security service to protect itself from online attacks. The action you just performed triggered the security solution. There are several actions that could trigger this block including submitting a certain word or phrase, a SQL command or malformed data.

What can I do to resolve this?

You can email the site owner to let them know you were blocked. Please include what you were doing when this page came up and the Cloudflare Ray ID found at the bottom of this page.