Fluminense tem 10 jogadores em fim de contrato e terá que buscar solução se Brasileiro for até 2021

O que vai acontecer com o calendário do futebol no país após a pandemia do coronavírus é uma incógnita. O Campeonato Brasileiro, antes previsto para começar no dia 2 de maio, já é certo que vai atrasar, uma vez que os estaduais ainda serão retomados. E como os clubes reforçaram para a CBF o desejo de manter a fórmula de disputa com 38 rodadas, além de serem obrigados por lei a dar mais 10 dias de férias aos jogadores esse ano, a falta de datas pode fazer a temporada terminar só em 2021.

– Nossa ideia é terminar os estaduais e que o Campeonato Brasileiro seja disputado em 38 rodadas e em pontos corridos. A paralisação não pode ser motivo para mudar as regras, o regulamento… Entretanto, só pode saber lá na frente. A gente não sabe quando vai poder voltar, está muito indefinido. Tomara que possa voltar entre maio e junho – disse o presidente Mário Bittencourt à “Fox Sports”.

Se esse cenário de 2021 se confirmar, muitos clubes terão problemas com vínculos que se encerram em dezembro, e só o Fluminense tem 10 jogadores nessa situação. Entre eles o seu maior destaque na temporada até a paralisação: Nenê, autor de nove gols e duas assistências em 13 jogos. Além dele, há mais dois titulares na lista: Matheus Ferraz e Hudson, que está emprestado pelo São Paulo.

Os outros tricolores que estão em seu último ano de contrato são: Caio Paulista (emprestado pela Tombense), Dodi, Felippe Cardoso (emprestado pelo Santos), Henrique (emprestado pelo Cruzeiro), Luccas Claro, Matheus Alessandro e Orinho, que foi quem menos jogou dos sete. Ainda assim, o lateral-esquerdo disputou quatro das 15 partidas antes da parada, ou seja, quase 1/3.

Caio Paulista é outro que tem seu contrato com Fluminense válido até dezembro de 2020 — Foto: Lucas Merçon / Fluminense FC
Caio Paulista é outro que tem seu contrato com Fluminense válido até dezembro de 2020 — Foto: Lucas Merçon / Fluminense FC

O Fluminense ainda estava em período de avaliar o desempenho desses jogadores, alguns deles contratados para 2020, e não havia começado nenhuma negociação para renovação, exceto por Frazan. No mês passado, o zagueiro, que se recupera de grave lesão sofrida na pré-temporada e só voltará a jogar no segundo semestre, ampliou o seu vínculo até 2022. Se o Brasileiro for estendido até o início do ano que vem, o clube terá que buscar soluções para não ter tantos desfalques na reta final.

Sub-23 também em risco

Além dos profissionais, o Fluminense também vive situação parecida no sub-23, projeto que o clube montou para esse ano visando dar mais tempo de maturação aos jogadores recém-promovidos da base e que não encontram espaço imediato no elenco principal. Na categoria, que permite até quatro jogadores acima da idade limite, oito atletas também ficarão sem contrato no fim de dezembro.

São eles: os zagueiros Daniel (20 anos) e Higor (20); o lateral-direito Diogo (22); os meias Gabriel Capixaba (22) e Matheus Cassini (24); e os atacantes Christian (20), Lucas Barcelos (21) e Matheus Pato (24). 

Matheus Cassini foi um dos reforços para o projeto sub-23 — Foto: Getty Images
Matheus Cassini foi um dos reforços para o projeto sub-23 — Foto: Getty Images

O Campeonato Brasileiro Sub-23, também conhecido como Campeonato de Aspirantes e que começou a ser disputado em 2017, ainda não havia tido tabela divulgada pela CBF antes da pandemia. Se o torneio for cancelado em 2020, assim como aconteceu com outras competições de base no país, a situação financeira pode ameaçar a continuidade do projeto, que se iniciou com goleada de 9 a 0.

Fonte: Globoesporte

Facebook Comments

Open chat
Anuncie AQUI! >>>
Olá!
Gostaria de anunciar sua marca aqui?
Powered by