Jornal Povo

VALE TUDO: Comércio de Nova Iguaçú na contramão da Pandemia do Corona VÍRUS e o povo não sai das ruas.

Nova Iguaçú: Desde a primeira publicação em diário oficial ainda no mês de março sobre medidas a serem executadas pelo comércio e moradores de Nova Iguaçu durante a quarentena da Convid-19(Corona Virus), ao contrário das limitações no ato oficial publicado logo no inicio da Pandemia, e também em outras publicações restritivas a cada semana ainda mais severas para conter a propagação e o contágio, que os comerciantes do comércio central, uns funcionando a meia porta, outros de portas escancaradas, tem até os que colocam faixas de proibido ultrapassar, e ainda colocam : “Pedidos pelo Whattssap ” se já está aberto porque pedir por aplicativo.

Foto: Arinos
Calçadão de Nova Iguaçú é o mais concorrido

Um contra censo que põe em cheque se a pandemia é real ou imaginária. Os comércios dos bairros seguem bem mais acintosamente. A fiscalização da prefeitura da cidade bem que tenta, mais não tem um quantitativo de pessoal para uma cidade com mais de 800.000 habitantes. Até o momento são mais de 480 infetados e 53 mortes, dados da Secretaria de Saúde do estado Rio. O prefeito Rogerio Lisboa em sua Lives no Facebook, tem demonstrado preocupação com os números crescentes da pandemia, o hospital da Posse no limite, às Upas também. Carros de som circulam pela cidade e bairros orientando, e pedindo para retornarem aos seus lares logo que possível.

Foto: Arinos
Filas nos bancos aumentam as aglomerações

Filas de bancos e lotéricas fazem curvas muitas gigantescas e sem controle, o povo quer dinheiro, precisa abastecer a casa. Entre essas indas e vindas, a Covid-19 segue em efeito dominó, se pegou em um segue atras dos outros. Entre Fakes, Boatos e intrigas pelas redes sociais, o corona segue destruindo lares, deixando famílias e amigos com uma imensa dor no peito. Até aonde vai a nossa responsabilidade de admitir ou não que existe uma doença séria que na calada do dia e da noite arrasta milhares de seres humanos pelo mundo seja pelo Corona ou de Carona, “Nesta pandemia todos somos iguais.”

Por: Arinos Jornalista.