Jornal Povo

Análise: Botafogo pega time mais preparado e sofre para garantir vaga na semifinal da Taça Rio

empate em 0 a 0 com a Portuguesa, na última quarta-feira, garantiu o Botafogo na semifinal da Taça Rio, mas o desempenho do time não agradou. O resultado e a atuação são bem diferentes da goleada sobre a Cabofriense, mas as circunstâncias também são outras.

O Botafogo enfrentou um time com um preparo físico melhor, que teve mais tempo de treino e que entrou em campo com chances de classificação para a fase final da Taça Rio. Posto isso, o time sofreu para seguir na competição. A sorte também não ajudou.

Paulo Autuori, de volta ao comando da equipe depois de protesto contra a Ferj, fez novos testes na escalação e mudou as peças do setor defensivo. Kanu retornou à titularidade e foi bem. Seguro ao lado de Marcelo Benevenuto, o zagueiro mostrou que merece permanecer na posição.

O problema voltou a ser as laterais. Fernando apareceu mais, por isso também ficou mais exposto. O lateral-direito apoiou Luiz Fernando na pressão por aquele setor, que foi o mais explorado pelo Botafogo na partida, e acertou uma cabeçada no travessão. Ainda está longe da melhor atuação.

O lado esquerdo foi a grande deficiência. Guilherme Santos fez jogo apagado e pouco apareceu no ataque. Com isso, Luis Henrique ficou sem apoio na frente e não chegou perto da atuação do último domingo. O atacante, que costuma se arriscar nas jogadas individuais, pouco foi acionado nos 90 minutos. Sem a ousadia de Luis, o Bota perdeu muito.

Autuori montou o time no 4-1-4-1, com Caio Alexandre próximo da zaga e Pedro Raul mais à frente no ataque. Ao longo da partida, viu-se Caio mais perto de Honda e dos pontas, enquanto Bruno Nazário e Pedro ficavam mais adiantados, mas o entrosamento da dupla não surtiu efeito contra uma Portuguesa que soube anular o meio e o ataque do adversário.

Apesar de mal na partida, o Botafogo esteve mais perto da vitória que a Portuguesa. O time alvinegro dominou o primeiro tempo e acertou três bolas na trave de Milton Raphael. A equipe da casa foi superior na etapa final, e o atacante Chay viu Diego Cavalieri impedir o gol que poderia ter dado a classificação à Lusa.

Com defesas que garantiram o empate, Cavalieri foi o melhor em campo. Marcelo Benevenuto e Kanu também foram bem atrás. Guilherme Santos, Bruno Nazário e Luís Henrique não se destacaram.

Luis Henrique não fez boa partida pelo Botafogo contra a Portuguesa — Foto: Vitor Silva/Botafogo
Luis Henrique não fez boa partida pelo Botafogo contra a Portuguesa — Foto: Vitor Silva/Botafogo

As circunstâncias da classificação devem ser destacadas. Foram apenas 10 dias de treinos presenciais, e o Botafogo conseguiu superar os obstáculos, em especial físicos, além de desfalques, para seguir na Taça Rio. Agora terá mais três dias para se preparar para o próximo confronto.

Coincidência do destino, o time de Autuori poderá enfrentar o Fluminense na semifinal, caso este se mantenha na liderança do Grupo B. Depois de lutarem lado a lado fora de campo contra o retorno do Campeonato Carioca, tudo indica que a dupla disputará dentro das quatro linhas quem seguirá jogando o estadual.

TUA ESTRELA SOLITÁRIA NOS CONDUZ… FAÇA PARTE: CLIQUE AQUI!

Fonte: GloboEsporte

Attention Required! | Cloudflare

Sorry, you have been blocked

You are unable to access jornalpovo.com.br

Why have I been blocked?

This website is using a security service to protect itself from online attacks. The action you just performed triggered the security solution. There are several actions that could trigger this block including submitting a certain word or phrase, a SQL command or malformed data.

What can I do to resolve this?

You can email the site owner to let them know you were blocked. Please include what you were doing when this page came up and the Cloudflare Ray ID found at the bottom of this page.