Corpo de arquiteta morta em casa é enterrado em Sulacap, na Zona Oeste do Rio

Foi enterrado na manhã deste sábado (4), no Cemitério Jardim da Saudade, em Paciência, na Zona Oeste do Rio, o corpo da arquiteta Thayane Nunes da Silva, de 28 anos. Ela foi morta na quinta-feira (2) à tarde, no apartamento do casal, segundo a Polícia Civil, pelo próprio marido, Gilton Santos Pinto.

Parentes e amigos fizeram uma despedida emocionada de Thayane. Eles contaram que ela vivia um momento de muita expectativa. Ela se formou em arquitetura no final de 2019 e tinha muitos planos para este ano.

Thayane morreu estrangulada. E o principal suspeito é o marido Gilton, que teria fugido antes da chegada a polícia ao condomínio. Numa rede social, ele publicou um vídeo, enquanto dirigia, pedindo desculpas à família. Mas depois apagou a publicação.

A Delegacia de Homicídios considera o vídeo uma confissão do crime. Ele fugiu no carro de Thayane e provocou um acidente gravíssimo na Rodovia Rio-Santos, quando seguia em direção à Costa Verde, no litoral Sul Fluminense.

Testemunhas contaram que ele dirigia na contramão e bateu em três carros. Nove pessoas, entre elas duas crianças – de 2 e de 8 anos – e um desembargador do Tribunal de Justiça. Gilton sofreu fratura exposta em uma das pernas e recebeu voz de prisão no hospital, em Angra dos Reis, para onde todos foram levados.

Morte em Campo Grande  — Foto: Reprodução/TV Globo
Morte em Campo Grande — Foto: Reprodução

A criança de 8 anos já teve alta. Os outros sete feridos foram transferidos para hospitais particulares do Rio. Um deles, um homem de 52 anos, está em estado grave.

Gilton continua no hospital em Angra dos Reis, onde foi operado e o estado dele é considerado grave. Ele está na UTI e ainda sem previsão de alta médica. Assim, que ele tiver alta será ouvido na DH e depois levado para uma unidade do sistema penitenciário.

Fonte: G1

Facebook Comments

Open chat
Anuncie AQUI! >>>
Olá!
Gostaria de anunciar sua marca aqui?
Powered by