Em jogo morno, Vasco e Grêmio ficam no 0 a 0 pelo Campeonato Brasileiro

O caminho do Grêmio à posição que o clube se acostumou a ocupar no futebol brasileiro nos últimos anos serve de referência para o Vasco de várias maneiras. Neste domingo, semelhanças e discrepâncias ficaram evidentes. No duelo entre aquele que é o que quer ser, prevaleceu o empate em 0 a 0 no placar eletrônico.

— Quando jogamos em casa, com a mentalidade estamos tendo, visualizamos os três pontos. Mas temos de lembrar também que do outro lado está a equipe do Grêmio, postulante ao título. Temos de valorizar o que conseguimos fazer. Às vezes lamentamos o que não conquistamos, mas prefiro valorizar o ponto conquistado em São Januário — afirmou o goleiro Fernando Miguel.

Com o resultado, o time da Colina perdeu a liderança para o Internacional. A equipe manteve a invencibilidade, com três vitórias e um empate, mas estacionou nos 10 pontos, enquanto que o Colorado tem 12. Com um jogo a mais, diga-se.

O próximo jogo será contra o Goiás, quarta-feira, pela Copa do Brasil. O time perdeu a primeira partida, válida pela terceira fase, por 1 a 0. Agora, precisa vencer em Goiânia para ao menos levar para os pênaltis.

Contra o Grêmio, o Vasco atuou tentando manter o embalo no Brasileiro e a euforia da torcida, gerada pelas três vitórias seguidas e pela expectativa de ver a modernização de São Januário sair do papel. Sexta-feira, a diretoria assinou memorando de entendimento com a WTorre e deu um passo na direção da reforma.

Os gaúchos, que trocaram o Olímpico pela Arena ainda em 2012, já fizeram essa travessia estrutural, inclusive tendo de lidar com as contrapartidas que projetos desse tipo exigem. Mas hoje colhe os frutos do estádio de primeiro mundo.

Dentro de campo, o Grêmio também é uma obra ponta. Com os titulares, foi superior no primeiro tempo. Não abriu o placar graças a duas defesas do goleiro Fernando Miguel. Já o Vasco de Ramon Menezes ainda está em construção. O treinador testou Bruno Gomes e Andrey juntos como titulares, o que nunca havia acontecido. O resultado foi um pouco abaixo.

Normal de um trabalho que chegou apenas ao sexto jogo oficial e que ainda não sabe o que é perder: o Vasco de Ramon soma cinco vitórias e um empate. Já Renato Gaúcho está à frente do Grêmio desde 2016.

O maior conhecimento do elenco, a filosofia de jogo já definida, foi preponderante na primeira etapa, quando o Grêmio teve mais a posse de bola e praticamente não foi ameaçado. Depois do intervalo, o cenário mudou um pouco.

Primeiro com a entrada de Cayo Tenório, especialmente depois que Vinícius saiu do banco de reservas. O Vasco apostou nos meninos para equilibrar um pouco mais ações, uma tentativa focando jogadores de base que o Grêmio esta mais do que acostumado a fazer, com as revelações que negocia praticamente todos os anos — a última, Everton, que foi para o Benfica e abriu caminho para Pepê assumir de vez a titularidade.

Nem os jovens do Vasco e nem os do Grêmio conseguiram tirar o zero do placar. Cano, principal goleador em campo, passou a partida sem boas chances para finalizar. Quando é assim, não tem outro resultado que não o empate.

Fonte: Jornal Extra

Open chat
Anuncie AQUI! >>>
Olá!
Gostaria de anunciar sua marca aqui?
Powered by