Alagamentos e interdições de vias marcam o dia seguinte das chuvas no Rio

Após um dia de chuvas fortes em diferentes pontos da cidade do Rio – no qual estações meteorológicas registraram em 24 horas o esperado para todo o mês – os efeitos são sentidos ainda no dia seguinte. Nesta quarta-feira, há pontos que permanecem alagados, caso de vias principalmente na Zona Oeste do Rio. Entre os efeitos também estão quedas de árvores e deslizamentos. A Estrada da Gávea Pequena, na Zona Sul, segue totalmente interditada na altura do número 128. O aviso de ressaca emitido pela Marinha do Brasil foi prorrogado.

Os reflexos da chuva ainda são sentidos nos seguintes pontos:

– Estrada do Itanhangá, altura do número 1.006, Itanhangá, no sentido Rio das Pedras; com bolsão d’água na via

– Estrada de Jacarepaguá, altura do número 5.456, Anil, Freguesia; com bolsão d’água na via

– Estrada Ver. Alceu de Carvalho, Vargem Grande; com alagamento

– Jardim Maravilha; com alagamento

– Avenida Borges de Medeiros, altura do Parque dos Patins, Lagoa; uma faixa ocupada por lâmina d’água no sentido Rebouças

– Estrada da Pedra Bonita, altura da Estrada da Gávea Pequena, Alto da Boa Vista; com queda de árvore na pista

– Estrada da Gávea Pequena, altura do número 128; via totalmente interditada devido a deslizamento

Num balanço divulgado na manhã desta quarta-feira pelo Centro de Operações Rio (COR), a cidade teve, até às 7h25, 39 ocorrências finalizadas, das quais 27 bolsões d’água em via e 14 quedas de árvore. Na Rua Jardim Botâncio, uma árvore caiu no Parque Lage em direção às pistas da via, na tarde de terça-feira, interrompendo o trânsito. Nesta manhã, funcionários da Comlurb fecharam duas pistas, sentido Gávea, para realizar o trabalho de retirada da vegetação. Na queda, um trecho do muro do parque caiu. Ninguém ficou ferido.

Às 8h desta quarta-feira a cidade voltou ao estágio de mobilização, após o desligamento das sirenes nas comunidades, segundo o COR. Em balanço divulgado pela Defesa Civil, esta manhã foram desligadas todas as 36 sirenes do Sistema de Alarme Sonoro que tocaram em 17 comunidades. Na terça-feira, o Rio entrou em estágio de atenção, às 8h15, devido ao acúmulo de chuva em 24 horas que fizeram soar as sirenes da Rocinha, na Zona Sul.

Aviso de ressaca

A mudança nas condições climáticas impactou novamente o mar. A Marinha do Brasil prorrogou o aviso de ressaca para o litoral da capital. Ondas de até 3 metros de altura podem atingir a orla do Rio até às 21h desta quarta-feira. Esta é a segunda vez seguida que o aviso é estendido. No último comunicado, até então, o aviso era válido até às 15h desta quarta-feira.

Entre as recomendações da prefeitura do Rio, deve-se evitar o banho de mar em áreas que estejam em condições de ressaca e não é indicado permanecer em mirantes na orla ou em locais próximos ao mar durante este período.

Fonte: Jornal Extra

Facebook Comments

Open chat
Anuncie AQUI! >>>
Olá!
Gostaria de anunciar sua marca aqui?
Powered by