Jornal Povo

“Quando um não quer, dois não brigam”, diz Ramos em passeio de moto com Bolsonaro

Brasília — O presidente Jair Bolsonaro deixou o Palácio da Alvorada na manhã deste domingo de moto, ao lado dos ministros da Secretaria de Governo, Luiz Eduardo Ramos, e da Casa Civil, Braga Netto, entre outros acompanhantes. O passeio ocorre em meio às tensões no governo entre a ala militar, da qual Ramos faz parte, e o núcleo mais ideológico do governo, que tem entre seus representantes o ministro Ricardo Salles, do Meio Ambiente.

Salles dirigiu críticas públicas a Ramos nas redes sociais, agitando a militância bolsonarista, que acusa os militares de tentarem sabotar o governo. Ontem, os presidentes da Câmara e do Senado, Rodrigo Maia e Davi Alcolumbre, respectivamente, manifestaram apoio a Ramos. Maia chegou a dizer que Salles “destrói” o meio ambiente e, agora, o governo.

Bolsonaro passou por uma padaria, onde provocou aglomerações de apoiadores. Sem máscara, apertou a mãos das pessoas, fez fotos. Depois, seguiu para uma feira da cidade, que fica no Cruzeiro, região administrativa do Distrito Federal.

Perguntando pelo GLOBO se a situação estava pacificada, Luiz Eduardo Ramos respondeu:

— Quando um um não quer, dois não brigam.

O embate foi deflagrado publicamente na quinta-feira, quando Salles teceu críticas contra o colega da Secretaria de Governo chamando-o de #mariafofoca em uma publicação no Twitter. Na ocasião, Salles comentava sobre uma nota da colunista do GLOBO Bela Megale a respeito da disputa entre as alas ideológica e militar do governo.

Na mesma semana, Bolsonaro agiu para colocar panos quentes em outra crise, desta vez causada por ele próprio, quando desautorizou publicamente o ministro da Saúde, que é general da ativa, Eduardo Pazuello, a comprar 46 milhões de doses da vacina CoronaVac, feita em parceria entre uma empresa chinesa e o Instituto Butantan, ligado ao governo de São Paulo, do rival político João Doria.

Bolsonaro foi apoiado pela militância radical, que rechaça a vacina por vir da China, país chamado por eles de “comunista “, e que passou a atacar Pazuello, mas desagradou a outros grupos dentro e fora do governo. Um dia após desautorizar Pazuello, o presidente fez uma visita surpresa a ele, que está com Covid-19, e gravou uma transmissão ao vivo nas redes sociais para mostrar um clima amistoso.

Presidente se irrita com pergunta sobre arroz

Na feira do Cruzeiro, segunda parada do tour de Bolsonaro, o presidente resolveu perguntar a uma vendedora se ela estaria disposta a tomar uma vacina contra o vírus.  Sem nomeá-la, o presidente estava se referindo à Coronavac, que vem sendo testada para, caso demonstre eficácia, ser produzida pelo Instituto Butantan em parceria com um laboratório chinês.

—  O que vocês acham da vacina que querem empurrar goela abaixo? — perguntou o presidente.

— Não tomo de jeito nenhum. Ainda mais vindo de onde vem — respondeu a comerciante.

Bolsonaro, então, disse que não queria ver “nenhum escândalo” envolvendo a produção do imunizante.

— Já tivemos alguns escândalos com a verba para respirador. Não podemos ter escândalo com a vacina. Nós estamos atrás da vacina brasileira, com muita tranquilidade e responsabilidade. Não é de uma hora para a outra, ‘ah, tal dia vai ter a vacinação’.

Após falar sobre o assunto, a vendedora reafirmou que não teria coragem de tomar qualquer vacina. Bolsonaro, então, não se mostrou disposto a convencê-la do contrário.

— A gente vai ter que conviver com o vírus a vida toda. Agora, não é só o vírus. Tem o desemprego também que mata. Suicídio. Brigas dentro de casa. Tem que ter responsabilidade sem covardia. Ok, imprensa, sem covardia — disse o presidente.

Antes, Bolsonaro disse à mesma mulher que estava “certo” em “tudo” o que falou sobre a pandemia. Ele aproveitou para atacar a imprensa.

— Agradecemos à imprensa esse pânico.

Quando estava de saída da feira, antes de subir em uma moto, Bolsonaro ficou irritado com uma pessoa que o questionou sobre o preço do arroz.

— Quer que eu tabele? Se quiser eu tabelo, mas vai ter que comprar lá na Venezuela! — disse Bolsonaro, em tom de voz exaltado.

Fonte: O Globo

Attention Required! | Cloudflare

Sorry, you have been blocked

You are unable to access jornalpovo.com.br

Why have I been blocked?

This website is using a security service to protect itself from online attacks. The action you just performed triggered the security solution. There are several actions that could trigger this block including submitting a certain word or phrase, a SQL command or malformed data.

What can I do to resolve this?

You can email the site owner to let them know you were blocked. Please include what you were doing when this page came up and the Cloudflare Ray ID found at the bottom of this page.