Homem é morto a tiros em baile de corredor em Belford Roxo

Rio – Um homem identificado como Eduardo Octávio foi morto a tiros na madrugada deste domingo, durante um baile funk de corredor que acontecia no Jardim Redentor, em Belford Roxo, Baixada Fluminense. Segundo testemunhas, uma confusão generalizada aconteceu dentro do ginásio do Esporte Club Sueca e se espalhou para o lado de fora. Em vídeo enviado ao Whatsapp, é possível ver o momento em que Eduardo, conhecido entre os funkeiros como Dudu da Guarda e Rato, é atingido por disparos. A Delegacia de Homicídios da Baixada Fluminense (DHBF) instaurou inquérito para apurar a morte.

Comuns na década de 1990, os bailes de corredor são eventos em que grupos de funkeiros se reúnem em dois lados – ‘A’ e ‘B’ – para brigar recreativamente. Hoje, são chamados pelos frequentadores de ‘pey pey pow’. Dudu pertencia ao ‘Lado B’ e, segundo testemunhas, foi atingido por homens do grupo rival. Quem mora na região afirma que os bailes aconteciam com a autorização do tráfico de drogas local. “A localidade é dominada por traficantes. O líder local autorizou a realização desses bailes, mas falou que não queria briga na rua”, afirmou um amigo da vítima, que preferiu não se identificar.

Eduardo Octavio, morto em Belford Roxo - REPRODUÇÃO INTERNET
Eduardo Octavio, morto em Belford RoxoREPRODUÇÃO INTERNET

Os bailes como o de sábado, em Belford Roxo, são chamados pelos funkeiros de ‘pey pey pow’. Frequentadores dos antigos bailes de corredor vão estritamente para brigar. DJs, MCs e fãs dos ‘bailes das antigas’ rejeitam esse tipo de evento. Equipes de som que fizeram sucesso na década de 1990 têm realizado bailes funk sem pancadarias.

“A diferença é que vamos em baile para as famílias, para crianças, inclusive. Lá tem pula-pula, é um divertimento nas tardes de sábado e de domingo que o funkeiro pai de família vai para curtir com sua família. Totalmente da paz. Você ouve os funks da antiga que fizeram sucesso da década de 1990 e reencontra os amigos. Esse baile de briga, de corredor, são de empresários que cobram R$ 20, R$ 30 da pessoa ir pro baile para brigar e ainda ser espancada, morrer. Bem dizer, pagou para morrer, para apanhar”, explicou um frequentador.

Em nota, a Polícia Civil informou que “de acordo com a Delegacia de Homicídios da Baixada Fluminense (DHBF), foi instaurado inquérito para apurar as circunstâncias em que uma pessoa morreu e outras duas ficaram feridas, na madrugada deste domingo (08/11), em Belford Roxo. Diligências estão sendo realizadas para esclarecer o caso”.

Segundo a assessoria de imprensa da Polícia Militar, policiais do 39ºBPM (Belford Roxo) foram acionados até o local e informados que três homens foram feridos por disparos de arma de fogo e levados às UPAs Jardim Bom Pastor e Jardim Íris, em São João de Meriti.

A Secretaria Municipal de Saúde de São João de Meriti confirmou em nota que, pouco mais de 1h da manhã de domingo, “dois homens feridos por disparos de arma de fogo chegaram à unidade, um deles deve ser transferido ainda neste domingo e o outro faleceu”.

Além disso, houve outros quatro casos de atendimento de feridos por armas de fogo, com duas mortes, na UPA de Jardim Íris, segundo a nota: “Por volta de 23h40 de sábado, quatro homens deram entrada na UPA de Jardim Íris com ferimentos por arma de fogo. Destes, dois foram a óbito, um foi transferido para o hospital de Saracuruna e o quarto fugiu da unidade após os primeiros atendimentos”.

Fonte: O Dia

Facebook Comments

Open chat
Anuncie AQUI! >>>
Olá!
Gostaria de anunciar sua marca aqui?
Powered by