Mais de 40 bairros do Rio e quatro cidades da Baixada Fluminense podem ficar sem água nesta sexta

O rodízio de abastecimento da Companhia Estadual de Água e Esgoto (Cedae) poderá deixar 42 bairros do Rio e quatro cidades da Baixada Fluminense sem água nesta sexta-feira (11).

A medida tem sido implementada pela companhia desde o problema técnico ocorrido há quase um mês na Elevatória do Lameirão.

Bairros afetados no Rio:

  • Campo Grande
  • Senador Vasconcelos
  • Santíssimo
  • Jabour
  • Inhoaíba
  • Cosmos
  • Senador Camará
  • Rio da Prata
  • Largo do Correa
  • Guaratiba
  • Ilha de Guaratiba
  • Parte de Santa Cruz
  • Joá
  • Itanhangá
  • Barra da Tijuca
  • Cidade de Deus
  • Camorim
  • Vargem Pequena
  • Vargem Grande
  • Recreio dos Bandeirantes
  • Grumari
  • Jacarepaguá
  • Anil
  • Gardênia Azul
  • Freguesia
  • Pechincha
  • Taquara
  • Tanque
  • Praça Seca
  • Vila Valqueire
  • Parte da Tijuca (Usina)
  • Santa Teresa
  • Rio Comprido
  • Ipanema
  • Laranjeiras
  • Riachuelo
  • São Francisco Xavier
  • Benfica
  • Rocha
  • Sampaio
  • São Cristóvão
  • Ilha do Governador

Municípios da Baixada Fluminense:

  • Queimados
  • Nova Iguaçu
  • Japeri
  • Belford Roxo

Acordo

Na quinta-feira (10), a Justiça o Rio de Janeiro homologou um acordo prevendo que a Cedae cumpra uma série de medidas para o abastecimento regular de água no estado. Entre elas, o acesso dos consumidores atingidos pelo rodízio de fornecimento por meio de carros-pipa ou sistema de manobras.

O acordo foi homologado pela juíza Alessandra Cristina Tufvesson Peixoto, da 8ª Vara de Fazenda Pública, e contou com a participação do Ministério Público (MPRJ) e da Defensoria Pública (DPRJ).

Depois de firmado o termo de ajustamento de conduta, a Cedae tem, agora, 48 horas para garantir o acesso dos consumidores à água potável de forma regular.

Veja os termos do acordo:

  • Publicar em seu site, diariamente e até as 18 horas, informações referentes aos locais em que há falta de abastecimento ou interrupções no abastecimento, o qual tem previsão de normalização em 23/12/2020;
  • Comunicar ao Ministério Público e à Defensoria, em 48 horas, o seu plano de ação para mitigação e prevenção de impactos da redução da capacidade de operação da elevatória do Lameirão;
  • Garantir, em seu plano de ação, o acesso dos consumidores à água potável de forma regular, no prazo de até 48 horas (através de carros pipa ou sistema de manobras), cumprindo a decisão proferida no Agravo de Instrumento 0026608-35.2020.8.19.0001;
  • Disponibilizar o plano de ação acima apontado em seu portal na internet, no prazo de 2 dias úteis.

Exemplo de economia

Um condomínio na Tijuca, Zona Norte do Rio, é exemplo de economia e medidas racionais para enfrentar a escassez de água.

“Supervisionamos a entrada de água 24 horas por dia. Por meio de informativo interno e do grupo de WhatsApp do condomínio, pedimos que os moradores economizem ao máximo, evitando lavar roupa e o uso da máquina de lavar louça. Além disso, usamos galões para coletar a água da chuva e dos aparelhos de ar condicionado para fazer a limpeza das áreas comuns do condomínio”, explicou a síndica Maria Lúcia Constant Loureiro.

Fonte: G1

Facebook Comments

Open chat
Anuncie AQUI! >>>
Olá!
Gostaria de anunciar sua marca aqui?
Powered by