Jornal Povo

Geosmina: pelo menos 24 bairros do Rio e três cidades da Baixada estão com gosto ruim na água da Cedae

Moradores de pelo menos 24 bairros do Rio e três municípios da Baixada — Duque de Caxias, Belford Roxo e Nova Iguaçu —, onde vivem cerca de 1,5 milhão de pessoas, relataram, em mensagens publicadas nas redes sociais, alterações na água, como sabor de barro e turbidez. A Cedae informou que já iniciou testes para diagnosticar problemas e solucioná-los o quanto antes.

img
Rozane Rodrigues enche uma panela com água mineral de galão para cozinhar Foto: ANTONIO SCORZA / Agência O Globo

A guia de turismo Rozane Rodrigues, moradora de Piedade, disse que está enfrentando a mesma situação que viveu no verão do ano passado. Como em 2020, ela voltou a se ver obrigada a comprar galões de água mineral, que vem utilizando até para cozinhar.

— Na manhã de terça-feira, enchi garrafas com água do filtro e, à tarde, vi que estava com uma cor amarelada. Achei estranho, mas bebi. Assim como no ano passado, senti um gosto fortíssimo de terra e um cheiro ruim — contou Rozane.

Moradora da Rua Laudelina Maia de Paiva, em Guaratiba, a estudante Alice Pereira disse que notou no último domingo a má qualidade da água que saía das torneiras de sua casa.

— Meus vizinhos sentiram o mesmo gosto ruim — lamentou Alice.

Segundo a Cedae, uma alteração na qualidade da água foi percebida por uma equipe de técnicos na terça-feira. A companhia informou que coletou amostras para análises e que os resultados completos dos testes ficarão prontos em uma semana. Além disso, destacou ter adotado medidas para reduzir o problema, como a aplicação de argila ionicamente modificada no trecho da Bacia do Guandu onde é feita a a captação para sua estação de tratamento. O produto reduziria a concentração de poluentes naquele ponto.

O governador em exercício, Cláudio Castro, convocou ontem uma reunião de emergência com diretores da Cedae, no Palácio Guanabara. Enquanto o problema era discutido, funcionários da concessionária aumentavam, na estação de tratamento do Guandu, a quantidade de carvão ativado despejada nos reservatórios, para tentar melhorar a qualidade da água. O recurso começou a ser usado pela empresa no ano passado, durante o ápice da primeira crise. Na época, um equipamento para a aplicação do produto foi comprado às pressas.

Em uma nota divulgada após a reunião, a Cedae afirmou que, independentemente do que apontarão os laudos dos exames das amostras coletadas, começou a corrigir as alterações na qualidade de seus serviços. Citando a aplicação de argila especial na Bacia do Guandu e de carvão nos reservatórios de sua principal estação de tratamento, a companhia garantiu que “técnicos já relatam uma percepção de melhora na água produzida, o que brevemente também será percebido pelo consumidor”, diz um trecho do comunicado.

Attention Required! | Cloudflare

Sorry, you have been blocked

You are unable to access jornalpovo.com.br

Why have I been blocked?

This website is using a security service to protect itself from online attacks. The action you just performed triggered the security solution. There are several actions that could trigger this block including submitting a certain word or phrase, a SQL command or malformed data.

What can I do to resolve this?

You can email the site owner to let them know you were blocked. Please include what you were doing when this page came up and the Cloudflare Ray ID found at the bottom of this page.