“Café Solidário” da Cruz Vermelha Brasileira Nova Iguaçu alcança objetivo social, afirmou o Jornalista Renato Muniz

O “Café Solidário promovido pelo Jornalista Renato Muniz e Presidente da Cruz Vermelha Brasileira Filial Nova Iguaçu, tem gerado bons frutos para área do assistencialismo de Nova Iguaçu e região. Em sua sétima edição, a reunião que acontece todas as terças a partir da 08 h da manhã, no auditório da entidade, à Rua Cel. Bernardino de Mello, centro, reúne, comerciantes, jornalistas, personalidades da musica, politica, religião, etc. Um café bastante concorrido.

A esq. Jornalista Renato Muniz Sec. Geral Marcelo Muniz.

Idealizado pelo recém empossado como presidente para os três próximos anos, o jornalista Renato Muniz, põe em pauta as atividades da CVBNI e a escola técnica ESESP. As reuniões tem rendido muitos elogios da sociedade iguaçuana, pois , muitos não tinham conhecimento das ações que a instituição desenvolve durante todo ano. Tomando todas as precauções, ás reuniões tem número limitado de convites por devido a pandemia, e, é preciso um agendamento com antecedência para poder participar. Não é só um café, mais uma vasta e panorâmica visão de todas as ações que a CVBNI tem feito, e faz diuturnamente em toda região, e não é apenas “AJUDA HUMANITÁRIA, é ajudar alguém, sem olhar a quem. ‘A entidade atua a 38 anos na Baixada Fluminense, trabalhando em ações humanitárias para salvar vidas e amenizar o sofrimento humano em condições precárias e de vulnerabilidade social, além de fazermos doações de cestas básicas, material de higiene pessoal, cobertores, atendimento com psicólogos, fisioterapia etc. Nas atividades já executadas pela CVBNI, milhares de famílias e população em situação de rua, aidéticos, dependentes químicos, pessoas com cancêr, tuberculose, presidiários, pessoas com Covid-19, além de higienizarão em hospitais, espaços públicos, presídios, delegacias, IML, cemitérios, escolas e logradouros públicos, lembrando que todas as ações são frutos das doações recebidas, tendo em vista a disponibilidade de poucos recursos. Novos parceiros estão chegando a CVBNI e os que já contribuíam, engajaram em nossos novos projetos sociais, falou Renato Muniz. Podemos ajudar mais. Os que estão em abandono de rua, crianças e jovens limpando para-brisas de carros vendendo balas para ajudar suas famílias, e assim vai. O projeto “Adote um aluno”, é o top do momento, e a sociedade precisa abraçar esta causa. Vamos educar hoje, fazer hoje, não podemos banalizar as pessoas em vulnerabilidade social, principalmente nossos jovens. “Nós sempre passamos pelas ruas… e todo mundo vê, mas ninguém ajuda., uma realidade nua e crua. E por que não ajudar, não é? Todo mundo deveria ter o direito de, pelo menos, não passar frio nem fome, afirmou Dra. Célia Almeida. O assistente social Eduardo Nunes destaca ainda que, às vezes, o que mais um morador de rua precisa é de atenção e de uma boa conversa.

Cada pessoa, empresário, comerciante pode adotar um aluno, são vários cursos da escola técnica ESESP-CVBNI, e o valor pago como beneficio social poderá ser abatido no imposto de renda física ou jurídica, um aluno ou mais. Cada jovem retirado das ruas para sala de aula em uma escola técnica será menos um futuro negro, ou branco, a margem da sociedade. O Café Solidário já recebeu nas semanas anteriores personalidades de todos os generos da sociedade. O Presidente da Cruz Vermelha Nova Iguaçu jornalista Renato Muniz agradece a todos que tem acreditado nas novas açoes e novos projetos que estão por vir.

Por: Arinos Monge.

Open chat
Anuncie AQUI! >>>
Olá!
Gostaria de anunciar sua marca aqui?
Powered by