Área onde homem foi morto no ônibus registrou 1.895 casos de roubo em coletivo neste ano

Segundo dados do ISP, região em que Marcos Paulo Appolinario da Silva foi assassinado durante assalto a ônibus é a terceira com o maior número de casos no estado do Rio nos primeiros sete meses do ano

Marcos Paulo Appolinario da Silva: assassinado durante assalto a ônibus na altura de Ramos

Reprodução / Redes Sociais

Rio – A região em que Marcos Paulo Appolinario da Silva foi morto durante um assalto a ônibus, na quinta-feira, registrou 1.895 casos de roubo em coletivo de janeiro a julho deste ano. O dado é do Instituto de Segurança Pública (ISP). A vítima foi morta ao se recusar a entregar um celular aos assaltantes, no interior de um coletivo da Viação Reginas, na Avenida Brasil, na altura de Ramos. O bairro integra a 1ª Risp (Região Integrada de Segurança Pública), que registrou o terceiro maior número de ocorrências no estado do Rio nos primeiros sete meses deste ano. A área engloba a Zona Sul, Centro e parte da Zona Norte da capital.À frente dessa região nos registros de casos está a 2ª Risp, que engloba a Zona Oeste e parte da Zona Norte do Rio e responde por 2.314 roubos em coletivos no mesmo período. Já a segunda região com mais ocorrências é a Baixada Fluminense (3ª Risp), com 1.958 casos. As regiões que aparecem na sequência são Grande Niterói e Região dos Lagos (481 registros), Norte Fluminense e Noroeste (16), Sul Fluminense (13) e Região Serrana (10).Ao todo, foram 6.687 casos no estado do Rio de janeiro a julho deste ano: um aumento de 15,3% em relação ao mesmo período do ano passado, quando foram registrados 5.798 casos de roubo em coletivo. Já em 2019, no período pré-pandemia, os número foram maiores, com 9.921 registros de janeiro a julho. A redução, portanto, verificada em 2021 em relação a 2019 é de 32,5%. Segundo o ISP, os casos de roubo em coletivo envolvem tanto assaltos a passageiros quanto a motoristas.

Em relação às Circunscrições Integradas de Segurança Pública (Cisp), que correspondem às áreas de atuação das delegacias distritais, as que registraram o maior número de roubo em coletivo, de janeiro e julho deste ano, foram a Cisp 64 (São João de Meriti), com 566 casos; a Cisp 21 (Benfica, Bonsucesso, Higienópolis, Manguinhos, Maré e Ramos), com 423; e a Cisp 39 (Acari, Barros Filho, Costa Barros, Parque Colúmbia e Pavuna), com 395 casos. Marcos Paulo Appolinario da Silva, que foi sepultado nesta sexta-feira, foi morto na área da Cisp 21.A Polícia Militar informou que uma das prioridades do comando da corporação é o combate aos crimes em coletivos, inclusive nos pontos de embarque. Segundo a PM, há uma modalidade específica de atuação, chamada de Policiamento Transportado em Ônibus Urbanos (PTOU), que é executada por todas as unidades da corporação, que intensificaram as abordagens a coletivos e demais veículos nos principais corredores de circulação nas áreas urbanas.

A PM ressaltou a importância do acionamento das equipes por meio da Central 190, para que os policiais possam agir de forma imediata nas ocorrências do crime.

Facebook Comments

Open chat
Anuncie AQUI! >>>
Olá!
Gostaria de anunciar sua marca aqui?
Powered by