PM EM AÇÃO:”Megaoperação acontece em sete comunidades das zonas Norte e Oeste; Sacode geral

Regiões de Água Santa, Tanque e Praça Seca, onde policiais militares foram atacados por criminosos na segunda-feira (15), são alvos de ação do Batalhão de Choque. PM também atua em favelas dominadas pela milícia em Santa Cruz

Com apoio de veículos blindados, policiais militares atuam na Praça Seca, Zona Oeste do Rio

Rio – Cerca de 500 policiais militares de diferentes batalhões, entre eles o Batalhão de Polícia de Choque (BPChq) e o Batalhão de Ações com Cães (BAC), realizam desde o início da manhã desta terça-feira (16) uma megaoperação em pelo menos sete comunidades do Rio, nas zonas Norte e Oeste. Segundo a corporação, o objetivo é combater milicianos que atuam nas regiões de Jacarepaguá e Santa Cruz.

Policiais militares estão nas comunidades do Saçu, Caixa D’Água e Morro do 18, entre Água Santa e Quintino, na Zona Norte. A ação tem apoio do 3º BPM (Méier).

Na mesma operação, policiais do 18º BPM (Jacarepaguá), com o auxílio de veículos blindados, atuam no Morro da Barão, Covanca, Bateau Mouche e São José Operário, entre os bairros do Tanque e Praça Seca. Não há balanço de prisões, ou apreensões.

A operação desta terça acontece um dia depois de uma equipe da Polícia Militar ser atacada na Praça Seca. Segundo a a corporação, criminosos armados dispararam contra PMs do 18º BPM (Jacarepaguá) que estavam em patrulhamento na Rua Doutor Bernardino.A região da Praça Seca, principal ligação entre Madureira e Jacarepaguá, é disputada há pelo menos um ano entre o Comando Vermelho, que já dominou favelas como o Morro da Barão, e a milícia liderada por Edmilson Gomes Menezes, o Macaquinho, preso em agosto.

Em Santa Cruz, equipes do 27º BPM (Santa Cruz), do 40º BPM (Campo Grande) e da Corregedoria da Polícia atuam nesta terça nas comunidades do Antares, Rola e Aço. Até o momento, dois veículos roubados foram recuperados pelos agentes. A área é o berço da milícia antes controlada por Wellington da Silva Braga, o Ecko, e atualmente nas mãos do irmão Luís Antônio da Silva Braga, o Zinho.Na segunda-feira (15), segundo a Polícia Militar, um miliciano tentou subornar equipes do 24º BPM (Queimados) oferecendo R$ 100 mil por semana para “que houvesse colaboração com as ações criminosas na região da Estrada do Cortume, que cruza boa parte do bairro de Santa Cruz”. O criminoso, que estava em regime semiaberto, foi preso em flagrante e conduzido à 48º DP (Seropédica).

Facebook Comments

Open chat
Anuncie AQUI! >>>
Olá!
Gostaria de anunciar sua marca aqui?
Powered by