Jornal Povo

Após ataque hacker, datacenter da Prefeitura do Rio segue fora do ar

Pelo segundo dia consecutivo, o Datacenter da Prefeitura do Rio continua fora do ar. O sistema, que sofreu uma ação hacker na madrugada desta segunda (15), ainda não retornou, apesar dos trabalhos da Iplan para a normalização.Por conta do ataque virtual, o Portal da Prefeitura e o Carioca Digital e todos os seus serviços foram retirados do ar, de forma preventiva, para preservação dos dados.

Entre os serviços afetados, estão os utilizados nos Centros de Referência de Assistência Social (CRAS) para a realização de inscrição do CadÚnico. No entanto, a Secretaria Municipal de Assistência Social explicou que as unidades vão atender o máximo de pessoas possível realizando o preenchimento de fichas de forma manual. Porém, informou que o cadastro só é de fato realizado quando incluído no sistema.

A pasta apontou ainda que, com a realização manual, o tempo nos atendimentos é aumentado. A explicação é que são muitas páginas de cadastro, sendo necessários cerca de 15 minutos para a realização de maneira digital, o que torna o tempo ainda maior manualmente.

Na Secretaria Municipal de Saúde o atendimento aos pacientes e o Sisreg não foram afetados, mas algumas unidades de saúde que funcionam com a rede do Iplan não puderam fazer a inserção de pedidos de exames e consultas nos sistemas de regulação. Assim como o painel de Covid-19, que está com a captura de seus dados afetada.

A rede municipal de ensino não foi afetada pelo ataque cibernético. Os sistemas da Secretaria de Educação que estão fora do ar também não prejudicaram os serviços prestados aos alunos e professores.

Já o Centro de Operações, o 1746 e o aplicativo Táxi.Rio operam normalmente. O Táxi Rio chegou a ser afetado pela manhã, deixando pacientes de hemodiálise e outros tratamentos que dependem do serviço sem ter como ir para as unidades de Saúde, uma vez que a prefeitura disponibiliza o serviço para locomoção dos pacientes. Além disso, os principais serviços prestados à população no Centro Administrativo São Sebastião, na Cidade Nova, também ficaram fora do ar e sem condições de atendimento ao público.