Jornal Povo

Nuremberg

Manifestação pede pena máxima para homem suspeito de matar cachorra queimada em São João

Manifestantes e ativistas das causas animais fizeram uma passeata em São João da Boa Vista (SP), na manhã deste domingo (7), pedindo punição para o homem suspeito de espancar e matar uma cachorra queimada dentro de uma casinha

Manifestação em São João da Boa Vista pede pena máxima para homem que matou cachorra queimada — Foto: Reprodução redes sociais

. Ele foi preso na sexta-feira (5).

O crime de maus-tratos ocorreu no domingo (30) em uma loja de roupas onde a cadela Café, de 8 anos, vivia. Os manifestantes gritavam pedindo por justiça e condenação por pena máxima para o autor do crime.

Dezenas de pessoas saíram de frente da Delegacia Geral de Polícia de São João da Boa Vista e seguiram até a praça Coronel Joaquim José. Ao longo do caminho tiveram apoio de motoristas que buzinavam e aplaudiam a manifestação.

Crime

A morte de Café teve muito repercussão na cidade. Segundo informações do boletim de ocorrência, na noite do domingo, após fechar o estabelecimento comercial onde Café vivia, a dona do viu pela janela da sua residência o momento em que o suspeito ateou fogo no animal e fugiu por uma escada colocada na parede. A Polícia Militar foi acionada.

Cachorra Café foi morta queimada em casinha em São João Da Boa Vista — Foto: Arquivo Pessoal

O homem, vizinho do imóvel onde vivia a cachorra, foi identificado durante as investigações para o esclarecimento do caso. A autoridade policial solicitou pelo mandado de busca e apreensão e também pela prisão preventiva do suspeito, que foi deferida pela Justiça.

O suspeito foi detido em sua casa, nesta sexta-feira (5) e encaminhado à cadeia pública da cidade. Foram solicitados exames junto ao Instituto Médico Legal (IML) e o caso foi registrado como praticar ato de abuso a animais e dano na Delegacia Seccional de Boa Vista.

A identidade do suspeito não foi divulgada, por isso não localizamos sua defesa.

Queimada viva em casinha

A cachorrinha Café foi morta queimada em São João da Boa Vista — Foto: Reprodução/Instagram

Por motivos ainda desconhecidos, o homem invadiu o comércio e espancou a cachorra, que correu para a casinha.

Em seguida, ele encostou a entrada da casinha na parede e ateou fogo. O animal chegou a ser socorrido em estado gravíssimo, mas não resistiu aos ferimentos.

A morte brutal gerou comoção no município de cerca de 90 mil habitantes.

“Não podemos aceitar um ato tão cruel e covarde dentro da nossa cidade. Nunca em 17 anos de proteção animal imaginei ver isso aqui”, postou a protetora animal Joceli Mariozi.

“Criminosamente a Café foi embora. Deixou um legado de docilidade, companherismo e mansidão. Saudade eterna”, postou a tutora nas redes sociais.

A cachorrinha Café foi morta em São João da Boa Vista — Foto: Reprodução/Facebook

Crime de maus-tratos

Maus-tratos, abuso e violência contra animais é crime previsto por lei. A pena é de dois a cinco anos de prisão, multa e perda da guarda do animal.

Denúncias de crimes contra animais podem ser feitas na Delegacia Eletrônica de Proteção Animal (DEPA) ou na delegacia do município.