Jornal Povo

Nuremberg

Festa Literária das Periferias receberá Gilberto Gil e homenageará Machado de Assis e Lima Barreto

A programação do evento, que acontece neste sábado (13/05), na Gamboa, conta ainda com lançamento de livro, feijoada, roda de samba e apresentações dos Blocos Afoxé Filhos de Gandhy e Prata Preta

Foto: Divulgação / Flup

A Zona Portuária do Rio será palco,

Neste sábado (13/05), a partir das 10h, acontece a 13ª Edição da Festa Literária das Periferias (Flup) na Gamboa, na Zona Portuária do Rio. Com o tema “Mundo da palavra, palavra do mundo” o evento, que é aberto ao público, irá homenagear os escritores Machado de Assis e Lima Barreto.

No dia, haverá debates, lançamento de livro, apresentações culturais, feijoada e roda de samba. Um dos destaques da programação é a presença do cantor e compositor Gilberto Gil, que participará de um debate com o ator, produtor cultural e escritor Haroldo Costa.

A data foi escolhida em comemoração ao aniversário de nascimento de Lima Barreto (1881-1922), ao dia da Abolição da Escravatura e ao dia de Preto-Velho. “Vamos fazer esta celebração para evocar os pretos e pretas-velhas ancestrais, pedindo licença para incluir Lima e Machado (que nasceu na região), e festejar também os mais velhos e mais velhas que com sua obra e genialidade continuam hoje a nos ensinar o que é o Brasil”, destaca Julio Ludemir, diretor-fundador da Flup.

A festa também vai reverenciar o legado de Mãe Beata de Iemanjá (1931-2017), reunindo mais de 20 Iyalorixás, herdeiras da matriarca do Candomblé, que teve forte atuação em Nova Iguaçu, na Baixada Fluminense. “Com Mãe Beata, a Flup quer chamar atenção para a força da cultura oral afrobrasileira, que se desdobra em outras escritas e literaturas e chega até aos slams, a poesia falada. Com Mãe Beata, queremos dar a importância devida ao modo como iyalorixás e babalorixás passam conhecimento e sabedoria para seus filhos e filhas”, explica Daniele Salles, porta-voz do evento.


A programação começa às 10h, na Praça do Cais do Valongo, um dos maiores símbolos da região conhecida como Pequena África, com o tradicional cortejo do Afoxé Filhos de Gandhy. Às 11h, a Flup sobe a Ladeira do Livramento com os integrantes do Bloco Prata Preta, até a Arena Samol, onde haverá apresentação de Mãe Glória. Ao meio-dia, começa a ser servida a feijoada. E na sequência, acontecerá o lançamento do livro “Quilombo do Lima”, que reúne contos 22 autores e autoras negras.

A tarde seguirá com a dramatização do conto “Través”, de Luciano Nascimento, às 16h15, um dos textos reunidos no “Quilombo do Lima”. O dramaturgo Márcio Januário, um dos presentes na coletânea, assina a direção da apresentação. Às 17h, o artista Gilberto Gil e o escritor e comentarista de carnaval Haroldo Costa integrarão a mesa “Quem me deu régua e compasso”, mediada pela premiada escritora Eliana Alves Cruz.

A DJ Bieta e o Slam das Minas comandam os intervalos com muita música e poesia. Dona Zélia do Prato abre a noite, às 19h, com samba de roda. A tradicional Escola de Samba Vizinha Faladeira, com bateria e o intérprete Enzo Belmonte, sobe ao palco logo em seguida. O grupo Samba do Caboclo fechará a programação, às 21h.