Jornal Povo

Polícia prende integrantes de motoclube nazista na Zona Norte

Polícia Civil prendeu quatro integrantes do motoclube durante diligência
A Polícia Civil prendeu quatro integrantes de um motoclube que fazia apologia ao nazismo, no Méier, Zona Norte do Rio. Agentes da 26ª DP (Todos os Santos) já vinham investigando o grupo por ataques a tiros contra um estabelecimento do bairro e localizaram Alexander Leôncio Barbosa, Rodrigo Espinosa Perello, Philipe Ferreira Ferro de Lima e Rafael Ferreira Santos durante diligências nesta segunda-feira (31).
Segundo as investigações, o motoclube Satans foi responsável por ter feito, pelo menos, dez disparos contra um bar no Méier, em maio deste ano, e a distrital descobriu que eles se organizavam para cometer crimes e ostentavam em seus coletes insígnias nazistas, como forma de intimidar as pessoas, que tinham medo de denunciá-los. Entre os símbolos, o SS em referência Schutzstaffel, o Esquadrão de Proteção de Adolf Hitler e os dirigentes do Partido Nazista, fundado em 1925.
Durante a ação, os policiais localizaram Alexander e Rodrigo conduzindo uma motocicleta com placa adulterada e durante a revista, foram encontrados um revólver calibre .38, 16 munições e duas facas, além dos coletes do grupo. Os agentes também prenderam Philipe, que é diretor do motoclube e na sede, encontraram drogas vendidas no local, que foi interditado. As equipes da distrital ainda prenderam Rafael com uma moto com a placa adulterada.
De acordo com o delegado Felipe Santoro, da 26ª DP, Philipe já havia sido preso em 2013, por crime de apologia ao nazismo, após ter agredido um homem em Niterói, na Região Metropolitana, por razões discriminatórias. “Há pelo menos 10 anos, o acusado vem se dedicando à prática racista e discriminatória”, apontou. “As investigações vão prosseguir para a identificação dos outros integrantes desse grupo criminoso, que tem ramificações em diversos estados. A gente está apurando quais crimes eles vêm cometendo e, especificamente, esses de ódio e discriminação”, completou.
Alexander e Rodrigo vão responder pelos crimes de porte de arma de fogo de uso restrito; posse de arma branca; adulteração de sinal de veículo automotor; organização criminosa; e apologia ao nazismo. Já Philipe foi autuado por tráfico de drogas; organização criminosa; e apologia ao nazismo; enquanto Rafael por adulteração de sinal de veículo automotor; organização criminosa e apologia ao nazismo. Eles foram encaminhados para audiência de custódia.