Jornal Povo

Servidores do Banco Central fazem paralização de 48 horas

A formação superior obrigatória para o cargo de técnico é uma das reivindicações

Edifício do Banco Central. — Foto: Rafa Neddermeyer/Agência Brasil

Nesta terça-feira (20), servidores do Banco Central (BC) iniciaram uma greve por 48 horas, depois de uma proposta de reajuste de 13% do Ministério da Gestão e da Inovação em Serviços Públicos (MGI).

O valor seria parcelado em 2025 e 2026, mas não agradou os funcionários do BC, que pedem a obrigatoriedade de formação superior para ocupar o cargo de técnico.

Eles também solicitam a mudança da nomenclatura do cargo de analista para auditor, bem como a instituição de uma Retribuição por Produtividade Institucional.

Os servidores agora pressionam o governo a negociar de forma mais ampla, visando as questões solicitadas para o desenvolvimento da carreira e do órgão em si.

Uma reunião com representantes do MGI está agendada para esta quarta (21/02), de acordo com o Sindicato Nacional dos Funcionários do Banco Central  (Sinal).