Fluminense tem atacantes em má fase na reta final da luta contra o rebaixamento no Brasileirão

O Fluminense precisa de vitórias para escapar do rebaixamento, mas esbarra no fator primordial para conseguir o objetivo, o gol. Na reta final da luta contra a degola, o time persiste em uma das principais marcas negativas da temporada: o pouco poder de decisão com as chances criadas. Para piorar, tem os principais atacantes do elenco em jejuns consideráveis.

Segundo o site Footstats, o Tricolor é uma das piores equipes do Brasileirão na hora de fazer o gol. Em média, precisa de nada menos que 13 chutes para cada bola na rede. Só é melhor que Avaí, Chapecoense, Cruzeiro e CSA no quesito. Os números preocupam o técnico Marcão.

– Temos criado situações de gols, que é o mais difícil. Variação de movimentação no ataque, no meio de campo… Para no final acabar no gol. Agora, vamos tentar fazer tudo novamente. Na oportunidade que aparecer, eles têm que estar mentalmente e fisicamente preparados – disse o treinador após o empate com o Atlético-MG, no último sábado.

O caso mais emblemático é de Yony González, artilheiro do time da temporada, com 16 gols. O atacante não marca há 10 jogos. A última vez foi na vitória de 1 a 0 sobre o Botafogo, pela 23ª rodada do Campeonato Brasileiro, quando decidiu aquele clássico.

Só que antes disso, o colombiano ficou outros 11 na seca, ou seja, fez apenas um gol nos últimos 21 jogos da temporada. Yony é criticado pela torcida pela fase ruim, aliada à permanência improvável para a próxima temporada. Mas, ganhou apoio do técnico Marcão.

– O Yony trabalha, faz o que tem que fazer. Quando vocês chegaram, saiu todo mundo do campo e estava ele lá, com outros poucos jogadores. Está focado, pensando no clube. Ele sabe da responsabilidade. Entra, faz o que tem que fazer. É um jogador forte. A bola não está entrando, mas ele está fazendo da melhor forma para colocar a bola para dentro – disse em entrevista coletiva recente.

Na lista de artilheiros do ano que ainda estão no clube, João Pedro é o próximo, com 10 gols. E, assim como Yony, o garoto também sofre com um jejum considerável. O centroavante está desde agosto sem marcar, quando decidiu o jogo contra o Fortaleza. Desde então, foram outras 12 partidas em branco. A seca custou a titularidade e até a presença no banco em duas rodadas recentes.

Via: Globo Esporte

Facebook Comments

Deixe uma resposta

Your email address will not be published.

Open chat
Anuncie AQUI! >>>
Olá!
Gostaria de anunciar sua marca aqui?
Powered by