Jornal Povo

Ashburn

Autuori diz que Honda está em condições de jogo e depende apenas de regularização para estrear

Ainda não vai ser neste domingo que Keisuke Honda fará sua estreia pelo Botafogo. O meia japonês não foi regularizado a tempo para jogar contra o Boavista, às 19h, no Nilton Santos. Em coletiva nesta setxa-feira, o técnico Paulo Autuori garantiu que o estrangeiro está em condições de jogo e espera que ele possa entrar em campo contra o Flamengo, na segunda rodada da Taça Rio.

– Tenho conversado bastante com ele. A ideia é ele absorver alguns conceitos táticos. O que não vai ser difícil, porque ele já trabalha há muito tempo com isso, veio da Europa. Ter isso no campo facilita o trabalho de qualquer treinador. Fizemos jogos-treinos até para dar essa experiência a ele, mais ritmo de jogo. Ele vai estar em condições de estrear assim que estiver regularizado fora de campo. Espero que seja contra o Flamengo.

O técnico também comentou a situação de Pedro Raul. Com uma lesão na coxa direita, o atacante deverá ser poupado para a primeira rodada da Taça Rio.

– O Pedro Raul está em processo de recuperação. Sentei com ele e com o departamento médico e disse que era um jogador muito importante. Por isso fizemos um sacrifício contra o Náutico. Depois, veríamos um tempo maior para recuperar. Definimos isso. Se tiver que ficar fora desse jogo, vai ficar. Foi pré-determinado.

Paulo Autuori  — Foto: Vitor Silva/GloboEsporte.com
Paulo Autuori — Foto: Vitor Silva/GloboEsporte.com

Outras declarações de Autuori

Espinosa

– Não cabem palavras em um momento como esse. A grande lição que o Espinosa deu no futebol é que é possível ser vitorioso com dignidade e caráter. Foi um vitorioso na vida, campeão da vida. É uma responsabilidade grande de todos nós, porque ele queria ver a estrela do Botafogo brilhar de novo. Perdemos uma grande figura, um ídolo do Botafogo.

– Aconteceu muita coisa em pouquíssimo tempo e foi tudo marcante. Curti muito estar com o Espinosa, assim como curti estar com o Abel. É possível profissionais como nós estarmos juntos em funções distintas. Curti muito esse momento, mas não vai ser mais possível. Continua dentro de mim o compromisso com ele e com a instituição. Só posso retribuir isso com muito trabalho e dedicação.

Honda

– A situação do Honda é normal. Vivi no Japão e sei das dificuldades sobre visto de trabalho. Quando nós vamos para lá também é um processo complexo. Tem a ver com a cultura de lá também.

Cortez

– Sobre o Cortez, já está em condições e é uma opção. É uma opção bem viável. Vamos aproveitar hoje e amanhã para fazer alguns ajustes sobre a equipe que vai iniciar. Não vai ser muito diferente da que jogou contra o Náutico.

Dificuldades do time

– Minha visão é mais sistêmica, não acho que é problema só de finalização. O erro na finalização é resultado de uma série de fatores. Não é só ir para o campo e rolar a bola para finalizar. Tem um contexto do jogo, a parte emocional… Alguns jogadores sentem mais, outros menos. Peço a eles coragem de tentar algo diferente, correr riscos. O Botafogo tem uma história extraordinária, mas passa por um momento difícil. Tem uma torcida que quer bons jogos e vitórias, e é isso que vamos buscar. Temos que pensar grande.

Ruan Renato

– O Ruan Renato jogou, foi bem. Deve jogar.

Yaya Touré

– O assunto está com a direção. Só falo de qualquer jogador quando se tornar realidade no clube.

Mudanças no elenco

– O calendário brasileiro é ridículo e faz com que os clubes inchem o grupo de trabalho. Porque é jogo toda hora. Isso dificulta a qualidade do treino, e alguns jogadores ficam durante toda a temporada sem a oportunidade necessária. Acho que há um desperdício enorme de jogadores de até uns 21 anos, por exemplo. Porque você lança muito cedo, ele não vai bem…

– Queremos trabalhar com um grupo menor. Resolveríamos isso com times sub-19 e sub-21, porque é até essa idade que os atletas estão em desenvolvimento. E isso faria com que nós não inchássemos o grupo principal. Seria um processo a ser feito, dentro de um planejamento. Nós estamos longe disso ainda, por uma série de motivos. Mas, queremos entrar nesse caminho. Estamos conversando com a direção, eles estão nos apoiando. Estamos refletindo o futebol como um todo.

Fonte: Globoesporte