Jornal Povo

Prefeitura do Rio tirou R$ 14 milhões de obras de prevenção a enchentes em fevereiro

Na semana que antecedeu a chuva que destruiu parte da Zona Oeste do Rio e deixou, no município, três mortos, o prefeito Marcelo Crivella remanejou verbas previstas para contenção de encostas e para drenagem. O carnaval foi um dos destinos do dinheiro — cerca de R$ 14 milhões.

Três decretos de Crivella com as movimentações orçamentárias foram publicados no Diário Oficial do Município de quinta (27) e sexta-feira (28).

O temporal desabou na noite de sábado (29) e continuou por todo o domingo (1º). Realengo e Taquara foram os bairros mais afetados.

O que determinam os decretos

O remanejamento cancelou três serviços da Georio.

  1. Na quinta (27), R$ 4 milhões inicialmente destinados para obras de contenção foram para a Riotur;
  2. Na sexta (28), mais R$ 4 milhões, previstos para drenagem e pavimentação, foram para o Cimento Social;
  3. Também na sexta, R$ 6 milhões, reservados para conservação de viadutos, foram para a Casa Civil.
Decretos que remanejaram verbas da Georio — Foto: Reprodução/TV Globo

O PRIMEIRO DECRETO

No DO de quinta (27 ), Crivella retirou R$ 3,98 milhões da Georio aprovados para obras e instalações para “estabilização geotécnica”.

Esse valor foi repassado para a Riotur para, entre outros, “projeto carnaval”, “desfile da passarela” e “evento na Cinelândia”.

O SEGUNDO DECRETO

No Diário Oficial de sexta (28), foi aberto crédito suplementar de R$ 4.086.282,16 para o Cimento Social.

O programa contempla a “construção, reforma e realocação de moradias populares em comunidades carentes ou em áreas de risco”.

O TERCEIRO DECRETO

No mesmo dia, R$ 8 milhões, sendo R$ 6 milhões da Georio, foram transferidos para a Casa Civil.

A verba vai reforçar o caixa de obras e a “participação no capital da Companhia de Desenvolvimento Urbano da Região do Porto do Rio de Janeiro”.

CPI cita ‘cortes irresponsáveis’

A CPI das Enchentes foi aberta por causa da contratação de empresas após as fortes chuvas que caíram em fevereiro de 2019, que mataram sete pessoas.

O relatório final pediu o indiciamento do prefeito Marcelo Crivella e de secretários municipais.

Os vereadores afirmam que, desde 2017, a prefeitura não atualiza planos de chuvas e fez “cortes orçamentários irresponsáveis”.

O documento também citou a falta de integração entre órgãos e indícios de formação de cartel nos contratos das obras de emergência.

O que diz a prefeitura

Em nota, a Prefeitura do Rio afirmou que não houve perdas de recursos para a Georio.

“Um novo decreto será publicado, reincorporando os valores”, emendou.

Via: G1

Attention Required! | Cloudflare

Sorry, you have been blocked

You are unable to access jornalpovo.com.br

Why have I been blocked?

This website is using a security service to protect itself from online attacks. The action you just performed triggered the security solution. There are several actions that could trigger this block including submitting a certain word or phrase, a SQL command or malformed data.

What can I do to resolve this?

You can email the site owner to let them know you were blocked. Please include what you were doing when this page came up and the Cloudflare Ray ID found at the bottom of this page.