Goleiro estava cumprindo quarentena em seu país natal e encontra dificuldades para retornar ao Rio de Janeiro por conta da pandemia do novo coronavírus

Fluminense pleiteou na Justiça desportiva o direito de voltar a jogar pelo Campeonato Carioca em julho, devido ao pouco tempo que teve para treinar em função da pandemia do coronavírus. A decisão do Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD) não foi considerada a ideal nas Laranjeiras, mas não deixou de ser uma “vitória” tricolor. Isto porque, ao menos, o clube terá um período de 10 dias de preparação para entrar em campo, considerado o mínimo para a parte física.

Como o clube voltou às atividades na última sexta, e a Ferj mudou o protocolo que exigia 48 horas de concentração antes das partidas, o Fluminense terá um dia a mais para poder treinar, totalizando nove, e mais 24 horas de descanso antes de entrar em campo. Neste cenário, a diretoria consultou a comissão técnica, que aceitou jogar, como noticiado pelo site “Saudações Tricolores”, na data marcada: domingo, às 19h (de Brasília), contra o Volta Redonda, pela 4ª rodada da Taça Rio.

A princípio, a partida está prevista para o Maracanã, mas o GloboEporte.com apurou que o Fluminense está pleiteando para mudar o jogo para o Nilton Santos. Como o presidente Mário Bittencourt anunciou em entrevista ao programa “Troca de Passes”, do SporTV, na última sexta-feira, o clube não considera a hipótese de mandar os seus jogos no local devido ao hospital de campanha que foi feito dentro das dependências do estádio para atender pacientes da pandemia.

– Acho que não deveria ser marcado jogo no Maracanã, ao lado de um hospital de campanha. Não deveria estar tendo jogo hoje. É um desrespeito. Eu vou antecipar a vocês que se a gente obtiver êxito no Tribunal, no STJD, vamos novamente fazer um pleito que mande nossos jogos no Nilton Santos ou mesmo em São Januário – disse Mário na semana passada.

Estádio Nilton Santos vira alternativo do Fluminense para não jogar no Maracanã — Foto: Vitor Silva / Botafogo
Estádio Nilton Santos vira alternativo do Fluminense para não jogar no Maracanã — Foto: Vitor Silva / Botafogo

Nas semifinais e finais de turno e na decisão do Carioca, o mando de campo pertence à Ferj. Por isso, o Fluminense não tem como interferir no local onde a federação marcará essas partidas.

Presidente do STJD, Paulo César Salomão Filho explicou em sua decisão proferida nesta terça-feira o motivo por seu posicionamento ter sido contrário ao do Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro (TJD-RJ), que na semana passada havia mantido a tabela marcada pela Ferj, com os jogos do Fluminense nos dias 22 e 25 de junho – mesmo com o pedido para jogar só em julho, o clube acatou e não vai recorrer.

“A decisão do TJD teve como prisma tão somente a questão jurídica antagônica, quando, ao meu sentir, os pontos devem ser avaliados também sob ótica da saúde dos atletas diante de uma pandemia mundial. (…) É indiscutível ter sido extremamente curto o interregno de tempo entre a deliberação adotada pela maioria dos clubes, que em 15.06.20 estabeleceu o retorno da competição, e naquela mesma data já designou as partidas do clubes requerentes para o dia 22.06.2020. (…) É regra de ouro que as decisões adotadas nos arbitrais devem ser seguidas e respeitadas por todos os envolvidos. Todavia, é evidente que a Justiça Desportiva não poderia ficar inerte ao se debruçar na questão ao verificar que a maioria teria agido com abuso de poder”.

Fonte: Globo Esporte.

Facebook Comments

Open chat
Anuncie AQUI! >>>
Olá!
Gostaria de anunciar sua marca aqui?
Powered by