Jornal Povo

Prefeitura do Rio determina volta de servidores ao trabalho presencial; home-office será apenas para quem provar ser do grupo de risco

A Prefeitura do Rio convocou os servidores e os prestadores de serviço a retornar ao trabalho presencial. Cada órgão terá até a semana que vem para elaborar um plano para a volta das equipes.

A portaria determina também que o horário de expediente deverá ser igual “àqueles adotados anteriormente à pandemia”.

Uma portaria da Coordenadoria-Geral de Recursos Humanos publicada no Diário Oficial desta quarta-feira (11), extinguiu, na prática, a possibilidade de o funcionário público cumprir o expediente remotamente se assim o desejar.

O órgão determinou que “o regime excepcional de teletrabalho deverá ser mantido somente para o servidor que se enquadre” nas categorias de grupo de risco.

Segundo o texto, “a autorização para permanência” no home-office “ficará condicionada à comprovação pelo servidor de sua condição de saúde”.

O funcionário terá de apresentar declaração médica “com data posterior à edição da portaria”, atestando as comorbidades que o colocam no grupo de risco para a Covid-19.

“Caso haja suspeita de falsidade nos dados da declaração, o servidor será convocado para prestar esclarecimentos; comprovada a irregularidade, estará sujeito a sanções administrativas”, ressalta o texto.

Quem tem direito a pedir o teletrabalho, segundo a prefeitura, são idosos com 60 anos ou mais, quem teve contato ou convívio direto com caso suspeito ou confirmado de Covid-19 e os portadores das seguintes doenças:

  • cardiopatias;
  • doença pulmonar;
  • câncer;
  • diabetes;
  • doenças tratadas com medicamentos imunodepressores e quimioterápicos.

Além de transplantados.

Regras de Ouro da Prefeitura do Rio para a reabertura da cidade — Foto: Infografia: Fernanda Garrafiel/G1
Regras de Ouro da Prefeitura do Rio para a reabertura da cidade — Foto: Infografia: Fernanda Garrafiel

Retorno gradual

A portaria dá prazo de cinco dias para que cada órgão defina um plano de retorno, a fim de seguir as Regras de Ouro — “em especial, ao distanciamento de um metro e meio entre pessoas ou de ocupação máxima de uma pessoa a cada três metros quadrados nos ambientes fechados de acesso público”.

A Coordenadoria-Geral de Recursos Humanos admite manter em home-office em forma de escala “quando estritamente necessário” e “após envidados todos os esforços necessários à garantia do trabalho presencial seguro”.

Caso isso ocorra, cada gestor deverá listar quem ficará de home-office e enviar a relação à Casa Civil, “com as respectivas justificativas e as métricas ou métodos adotados para controle do desempenho desses servidores”.

Funcionários temerosos

Jornal Povo recebeu relatos de pessoas com hesitação para voltar. “O Centro Administrativo São Sebastião não é um lugar seguro para trabalhar”, afirmou uma delas, em referência ao prédio na Cidade Nova.

Esse funcionário destacou “a quantidade de pessoas que trabalham lá”.

“As janelas não abrem, e não há três metros quadrados para que possamos ter a segurança necessária. É expor demais a todos”, emendou.

O que diz a prefeitura

G1 questionou a Prefeitura do Rio sobre as denúncias na sede da Cidade Nova e por que não foi facultada a opção de teletrabalho a quem se sentir inseguro.

O município informou que responderia ao longo desta quinta-feira. Esta reportagem será atualizada assim que o posicionamento chegar.

Attention Required! | Cloudflare

Sorry, you have been blocked

You are unable to access jornalpovo.com.br

Why have I been blocked?

This website is using a security service to protect itself from online attacks. The action you just performed triggered the security solution. There are several actions that could trigger this block including submitting a certain word or phrase, a SQL command or malformed data.

What can I do to resolve this?

You can email the site owner to let them know you were blocked. Please include what you were doing when this page came up and the Cloudflare Ray ID found at the bottom of this page.